O anônimo

Porque haveriam de citar nomes por detrás de palavras que vieram com os ventos?

Uma árvore oferece seus frutos, e não menciona seu nome…

Uma pequena forma biológica animal que transporta sementes férteis, não diz seu nome para parecerem grandiosos seus feitos… uma grande forma não diz o seu nome para ser respeitado em sua robustez… fazem eles o que vieram fazer por evolução, por equilíbrio…

Porque nomear e classificar o que se manifesta em natural fluência de vida?

Seria uma única vida a selar os feitos com seu nome, como se desvendasse o segredo de tudo?

Fazemo-lo perante um falso mérito, de conquistar algo para manter os alicerces de sobrevivência, alimentando a ignorância da competição, por conceitos que pretendem sobrepujar a vida, e não elevá-la… pela continuidade… pelo passo de cada existência  a perpetuar a existência… e o criar… o criar…

O que um nome significa? Preciso me alimentar em um banquete de vidas interrompidas, pelas ilusões do consumismo? Preciso habitar uma casa de concreto, aprisionado entre paredes e tetos, com instrumentos eletrônicos de frequências escravagistas? Preciso mostrar-me conduzido em um moderno veículo poluente que me transporta, sendo que minha própria vontade me transportaria para onde eu quisesse, aonde eu precisasse ir… o sem limites permitido?

O que eu digo de verdades, não são minhas verdades, mas aquelas que se diz em nome da lembrança armazenada em cada templo adormecido…

O que eu escrevo, é o registro de que passamos aqui várias vezes, para reconstituir o retorno por caminhar adiante…

Não importa, cantar uma nova canção, dançar uma coreografia inédita, dizer aquilo que parece nunca antes ter sido dito, e escrever uma história com direitos autorais… Aonde está minha autoria? E o que são direitos? Falar de igualdade quando alimento mentiras egoicas?

Falar de liberdade, quando me aprisiono ao mundo das nomenclaturas e títulos?

Quem sou eu? Senão alguém que vive, porque a Vida foi ramificada… Foi concebida para criar pela Vida… Foi tonificada com dons hereditários de uma Fonte Criativa intermitente de Vida…

Eu vim, porque havia de vir, para aprender a criar, e quando desta viagem a Mônada me chamar, irei, pois é de lá que levarei o que experienciei na aventura da Vida.

Voltarei ao lar sem paredes e tetos, só o infinito, sem importar-me com o que fiz, apenas que aprendi a semear Vida… em campos devastados pelas mentes equivocadas em seus poderes, desgarradas de suas Vidas… e não precisam meu nome mencionar ao que deixei… apenas que tomem goles desta fonte de saber que não é meu… e saberei que o adjetivo é Vida renovada… Vida inspirada… contínua… ascendida… nada mais… somos Vida de uma Vida…

Quem escreveu estas palavras não fui eu… foi apenas a energia de tudo o que precisa ser dito… e quando eu me for, apague meu nome… porque sei que não será tão importante, adiante… porque tudo evolui e se harmoniza com o Um sem nome, e nomeiem por favor: esta é mais uma obra semente da anônima Fonte de Vida… inspirada pela Vida…

Autor do Livro Freed On Life, o Amanhecer da Consciência… por Fred Cury

Disponível no link: https://clubedeautores.com.br/book/188125–Freed_on_life#.VavguF9Vikq

Anúncios

Em poucas palavras…

(In a nutshell – Original text in Portuguese language, and transcription for English version)

Na época em que muitas palavras não são lidas, posso adaptar-me a tentar dizer muito em poucas linhas…

Poetas não são filósofos, profetas, idealizadores ou pensadores… São corações que se aventuram a abrir um pequeno furo no tempo ilusório, onde por este permite penetrar na atmosfera dos esquecidos, as expressões da Criação… Que capturam a atenção de um pensamento distraído na intuição, onde as palavras são gotículas inspiradas, a irrigar os campos férteis de cada coração. Despertando cada semente a uma maneira distinta de florescer, na geração de incontáveis frutos alimentos das almas, ávidas pela integração das existências no Amor… que não tem forma, cor, dimensão, princípio, meio ou fim definidos… por ser Ele, a definição do que se aplica, ao que se criou e ao que se cria, na vastidão desse infinito…

por Fred Cury…

Autor do Livro: O Amanhecer da Consciência…

Autor da página Freed on life: https://www.facebook.com/freedonlife

Versão Vídeo/Áudio editada por PALMA: https://www.youtube.com/watch?v=koc0IFnqWPI

In a nutshell … (English version)

By the time many words are not read, I can adapt myself trying to say much in a few lines …

Poets are not philosophers, prophets, idealists or thinkers … But are hearts of who they venture a open a small hole in the illusory time, where by these, enables penetrate in the atmosphere of the forgotten, the expressions of the Creation … that can capture the attention of a thought distracted in a intuition where the words are inspired droplets, to irrigate the fertile fields of each heart. Awakening each seed to a different way to flourish in generating countless new creations, manifesting the essence of souls, eager for the integration of stocks at the Love … that has no shape, color, size, beginning, middle or end defined … Because, what comes from the love, is definition of which applies to what is created and renovated, in the vastness of the infinite …

by Fred Cury

O que é a vida a partir de um sorriso…

Você se desloca daqui para lá e retorna, e muitas vezes se conduz ao seu objetivo sem olhar ao redor, as nuances de seu caminho…

Há crianças brincando entre si e recriando seus mundos ideais nas guias e asfaltos… Um cão lhe farejando e balançando a cauda como se fosse íntimo e grato por teu olhar … Uma pessoa idosa caminhando solitária por entre árvores tão resistentes, quanto sua reverência pela vida… Em pequenas praças urbanas destacáveis em meio ao cinza do progresso desordenado… Onde os cantos dos pássaros penetram a barreira dos sons dissonantes da paz…

Ao residir numa metrópole repleta de concreto, procuro não vê-la muito… Por vezes, na calçada imprecisa tropeço, ao olhar atentamente para o céu… Ele está tão lindo… Até nos dias nublados mostra sua beleza e nestes dias, percebo a brisa leve com a qual os ventos se movimentam…

Há alguma diferença, percebo… Uma admiração pelo belo outrora notório despontando… Uma boa sensação, que de subliminar se torna explícita… Porque? Pergunto-me em meio a um tímido sorrir…

Noto agora, entre um pensamento antes racional , agora lúcido e a sensação de vida a cada respirar, nada mudou… A beleza de tudo sempre esteve aqui, e esteve lá adiante, em certo tempo escondido na velha forma de enxergar…

Percebi que me defendia, que reprimia as sensações, me envergonhava de sentir… Aprisionava a expansão, me escondendo atrás de um medo, até o sorriso suprimir…

Tão bom sorrir para alguém que você não conhecia… Porque não? … Criamos uma ponte entre um desejo de expressar e o receber em gratidão…

Caminho diferente agora… Os seres bípedes vestidos que trafegam a mesma via, já não são traves que se impunham ao trajeto que eu seguia…

Já não os percebo como corpos variados, aos seus destinos para o nada apressados, às vezes tristes, por vezes carrancudos… Pelo peso de seus fardos, traumas de seus medos, ou por seus sonhos represados…

Hoje são feixes de Luzes caminhando terrenos… Sempre brilhantes aos céus e mesmo que ao chão ofuscados… São em essência serenos…

Que fenomenal forma de visão… Cada ser uma centelha… Cada centelha uma expressão… Cada expressão uma certeza… Tudo que vive é criação…

Aos poucos redescobrindo-se… Sentindo em si o horizonte, e o que estava adormecido, desperta agora à própria Fonte…

Então eu ofereço meu sorriso… Por vezes grato… Em outras compassivo… Como se a todos abraçasse… Por existirem como existo…

… escrito por Fred Cury

 

 

Constelações…

Eu Sou como vós um Ser das constelações expandidas da Fonte em existência…

Um aspecto transitório nesta viagem a um mundo hostil, porém belo e majestoso, por vezes caminhando na rua estreita do isolamento, por ter sido o assumido… meu coração quis ser ouvido, indicando nele haver as instruções ao meu caminho… e a segui-lo por ser minha verdade… ao deixar de atuar nos palcos das ilusões… nos cenários de controle dos destinos…

Amo a verdade… dela espero a saciedade… embora pareça tardia, mas o tardio é distância inverídica perante a eternidade, e ilusões sempre se vão… são apenas ilusões… pesadelos sob a forma de sonhos intangíveis…

O que aprendi da solidão, foi perceber que tinha medo de estar só em um deserto de mim mesmo, mas deixo ir o medo… por encontrar-me em campo vasto, fértil, completo… com poderes em inspirar inovações pelos sentidos tão profundos, que emergem e se expressam nas libertas virtudes de intenções…

Este Ser que despe o ego das alegorias de implantes… de nada mais desfruta, mas se reencontra, e ao universo se aglomera… o aspecto do Ser Supremo que desceu à superfície de adormecidos… desconexos da evolução cósmica, como parcela de vida aprendiz e missionária, que retorna à vida integrada, ao plantar sementes antigas, irrigando os campos da renovação … transcrevendo a história complexa ao entendimento,… simplificando as formas de visão…

Eu Sou um coração com a centelha da Luz Primordial que como Vós… é capaz de irradiar Amor… único e unificado… livre e ilimitado… perfeito e consagrado…

O Ser essencial do Amor Divino…tão pequeno e grandioso… parte do todo… a criação do destino… do indivisível, invulnerável e insuperável pertencer…  pois, como “Vós”, “Eu Sou” um Ser das estrelas… das infinitas constelações… a Luz da Consciência manifesta na Alma, convidando o Corpo a elevar-se junto à Mãe Planetária… em purificação e leveza… inspiração e ascensão… porque tudo o que é vida se renova e se expande, posto que tudo é Criação…

por Fred Cury

Texto do livro: O Amanhecer da Consciência

Autor da página Freed On Life – https://www.facebook.com/freedonlife

Constellations … (English version)

I am like you a Being of the expanded constellations of the Source in existence …

A transitional aspect in this trip to a hostile world, but yet beautiful and majestic…

Sometimes walking on the narrow street of the isolation, because it was assumed … because my heart wanted to be heard, indicating be the instructions to my way … and to follow him to be my truth … by failing more be part of a scenario from control of the destinations…

I love the truth … I hope satiety … although it seems late, but late is non-existent in the eternity, and illusions always will are just illusions … nightmares in the form of intangible dreams. ..

What I learned from loneliness, was to realize that I was afraid to be alone in a desert of myself, but I can let go this fear … to find myself vast, fertile and complete … with empowered to inspire innovations, by such deep meanings that emerge and are expressed in the free virtues in intents …

This Being that was clean in your ego of the allegories of implants … now is reunited with the universe … the aspect of the Supreme Being who descended to the surface of unconnected asleep of cosmic evolution, as a part of life of apprentice and missionary, who returns to integrated life by planting antique seeds, to irrigating the fields of the renovation …

Transcribing the complex history to the understanding…

Simplifying the forms of vision …

A heart with the spark of Primordial Light as You, … that can radiate Love … single, unified … in freedom and unlimited … perfect and enshrined … the core of Divine Love … Being so small and great … of the whole … the creator of destiny, ,,, of the indivisible, invulnerable and unsurpassed unicity…

Because, as “You”, “I Am” a Being of infinite constellations… the Light of Consciousness manifest in soul, inviting the body to rise together with Mother Planetary … in purification, lightness. inspiration and ascension … because all that is life, if renews and expands, because everything is Creation.

by Fred Cury

Text of book: Freed on life – The dawn of consciousness

O mundo agora precisa de sua essência manifestada…

Mesmo que você ainda pense ser uma personalidade repleta de imperfeições, e que tais informações doutrinárias interventoras foram implantadas há milhares de anos, por certos interesses que chegaram a ponto de hoje concluírem-se como aceitáveis… Não há verdades nesses conceitos… O ego os assimilou, mas o centro de cada coração desconsidera-os.

Enfatizar imperfeições somente conduzem a dois caminhos… a alimentação vibracional ao não aprimoramento, e à uma questão que poderíamos chamar de “zona de conforto”… Em ambos os casos, são caminhos contrários às recordações das potencialidades de cada alma encarnada neste plano, e há um elemento mais distanciado das percepções…  toda alma evolui individualmente a cada missão por própria decisão, nos intervalos conscientes entre seu aspecto mais elevado e o aspecto missionário encarnado e reencarnado na fisicalidade… Os erros não são imperfeições, são as maneiras elevadas de conhecermos melhor o campo escuro gerado pela ignorância persistente, antes de iluminá-lo novamente com a sabedoria adquirida.

Toda alma encarnada possui esses registros ou históricos mediante suas próprias evoluções, ainda que suprimidos e desviados estrategicamente para uma ilusão tendenciosa terrena, de colonização e de domínio, dos senhores da desigualdade, da guerra e do caos, acima de falsas realidades, ao fundo, todo Ser é Divino e conhecedor da unicidade da Criação, mesmo os que a renegam, e que sua evolução individual só poderá convergir a essa Unidade.

Toda alma, em busca da própria verdade pelo espírito, em certa fase encontra intuitivamente os sinais, lampejos, ou manifestações de suas famílias espirituais, as quais não habitam um templo corpóreo nesta dimensão, mas são conectadas diretamente pelo centro do coração. Seres de Luz manifestam-se sob a forma de Luz, e trazem a sensação de amor, de paz, de ressonância e harmonização com o Ser que as percebe. Em nenhuma hipótese, Seres de Luz incentivam sentimentos de medo, ressentimento, defesa, desequilíbrio… tais sensações características são atribuídas aos Seres optantes pelo contrário da Luz, a escuridão… e por ainda persistirem em conduzir o mundo no pesadelo e hipnose coletiva que idealizaram, convenceram a maioria de que qualquer manifestação mais elevada, é algo aterrorizante, para omitirem o fato de que, o terror já está instalado pelos mesmos por pelo menos 13.000 anos. Ou seja, os Seres de outros mundos, dos quais também viemos, estão em torno da Mãe Terra, em naves totalmente diferentes das mecanizadas que enganosamente os filmes de ficção demonstraram, e suas intervenções tecnológicas foram apenas para que não se cumprisse sua destruição completa, pelos que já estão aqui governando o planeta, sem escrúpulos em interferirem no livre arbítrio da grande maioria.

Se podem parecer  diminutas nossas missões perante questões que são omitidas de forma tão veemente, pelas distrações de quem controla este sistema de coisas, é importante sinalizar que não temos armas ou tecnologias em mãos para questões que demonstrem ser tão grandiosas perante nossas existências… Mas o fato é que há realmente uma missão individual ao sentido Global e consequentemente Universal, e embora possa parecer que missões são questões que envolvem poder quantitativo, este poder está em nós, cada um de nós, essenciais existências advindas da mesma Fonte, e vibro para que se revelem agora nossas contribuições, afim de avançarmos e nos elevarmos, e não poderia ser maior do que isso, senão conduzirmos cada passo, em quaisquer circunstâncias, a partir de pequenos atos cotidianos, com as reais intenções de nossas essências… em emanarmos a única e conclusiva energia da qual somos condutores voluntários, que está ao alcance de cada um, com a potencialidade de materializar ao mundo de forma iminente e harmonizada, as tão almejadas fluências de Paz, Equilíbrio, Felicidade, Prosperidade, Igualdade, Liberdade em suas plenitudes… Tudo e muito mais, será alcançado por meio da sua essência… e sua essência é simplesmente… O AMOR…

por Fred Cury

autor do livro: Freed On Life – O Amanhecer da Consciência

Disponível no link: https://clubedeautores.com.br/book/188125–Freed_on_life#.VavguF9Vikq

The world now needs your manifested essence … (English Version)

Even if you still believe that is a being a full of flaws and imperfect, based in informations implemented for thousands of years, by certain interests that so far today are concluded as acceptable … There is no truth in these concepts … The ego was assimilated but the center of each heart disregards them.

Emphasize our imperfections can lead to two paths … the vibrational power to not improve, and an issue that could be called “comfort zone” … In both cases, are contrary to the memories of the potential paths of each embodied soul in this plan, and there a more distant element of perceptions … every individual soul evolves every mission by choice, in the intervals between his conscious highest, in incarnate missionary aspect in physicality … Errors are not imperfections, are the high ways to know better the dark field generated by the persistent ignorance, before of irradiate light again with the acquired wisdom.

The embodied soul has these records or historical by their own developments, albeit suppressed and strategically diverted to an earthly biased illusion, colonization and domination, of lords of inequality, war and chaos, above false realities in the background, all Being is Divine and knowledgeable of the oneness of creation, even those who deny, and that their individual evolution can only converge to this unit.

Every soul in search of truth itself by the spirit to a certain stage, can intuitively find the signs, flashes, or manifestations of your spiritual families, which do not inhabit a body temple in this dimension, but are directly connected to the heart center. Light beings manifest themselves in the form of light, bringing the feeling of love, peace, resonance and harmonization with the Being who perceives them. In no event Beings of Light encourage feelings of fear, resentment, defense, imbalance … such characteristics are attributed to influency by Beings of darkness … and still persist in leading the world in the nightmare and collective hypnosis idealized, They convinced minds that any higher manifestation, is something terrifying to omit the fact that terror is already installed by the same for at least 13,000 years. Ie beings from other worlds, of which also we come, are around Mother Earth, in totally different ships of mechanized that the deceptively fiction films has shown us, and their technological interventions were just so they do not fulfill their complete destruction, those who are already here ruling the planet without qualms about, to interfering in the free will of the majority.

It may seem tiny our missions where there are issues that are omitted so vehemently by the distractions of who controls this system of things, it is important signal that we do not have weapons or technology at hands to issues that appear to be so great to our existence … But fact is that there are actually a single mission to the Global sense and consequently Universal, and while it may seem that missions are issues involving quantitative power, this power is in us, each of us, essential stocks that come from the same Source, and vibro to Now reveal our contributions in order to move forward and elevate, and could not be greater than that, but conduct each step, under any circumstances, from small everyday acts, with the real intentions of our essences … in emanation for single and conclusive energy, which is available to everyone, with the capability to materialize the world of imminent and harmonized way, in the fluencies of Peace, Balance, Happiness, Prosperity, Equality, Freedom in its fullness … Everything and more, will be achieved through its essence … and its essence is simply … LOVE …

by Fred Cury

author of the book: Freed on Life – The dawn of Consciousness

A intenção…

Quando algum pensamento intenciona criar, o resultado é sempre abrangente e expansivo, mas se a intenção visa apenas objetivos pessoais, geralmente envolvem tudo aquilo que se espera adquirir de vantagens no âmbito material… é compreensível… pois o sistema foi idealizado para absorver no máximo, todo o material externo produzido…

Há uma insaciabilidade nisso, porque o material é ilusório, de uma matrix hipnótica das reais percepções e aptidões do Ser… Sem dúvidas, os objetivos são dominar as informações do ego humano e desviá-lo ao foco de tudo não inerente ao Ser Divino. Aqui estão as reais intenções e propósitos dos arrogantes e insensatos, porém livres arbitrários que optaram por separarem-se de sua Fonte…

Voltemos às intenções…  toda ação que visa um interesse de absorção individual, gera resultados de escassez à sua volta, num falso sentido de vitória, visando justificar toda a ação como a própria sobrevivência. Devido a tais preceitos implantados nas civilizações, sobretudo as ocidentais, testemunhamos os resultados de desequilíbrio e falta de recursos, experienciados nestes tempos. Seria prudente que tais almas percebessem, o quão solitários são os conceitos de absorver, suprimir e destruir tudo à sua volta…

Com base na Unicidade da Criação… tudo que se intenciona realmente ao bem comum, não poderia oferecer nenhum resultado se não o de abundância, prosperidade, avanço, criatividade e felicidade coletivas.

Tudo que se intenciona com a visão e percepção em prol do todo, apenas poderá gerar equilíbrio entre as existências manifestadas, que compartilham da mesma origem.

O que a Nova Era propõe, não é algo novo, mas uma renovação, a regeneração do conhecimento humano, suprimido pela ignorância dos sentidos de poder, posse e sobrevivência. Não é preciso que se crie uma nova sociedade para reformular tudo, apenas compreender que sociedades devem ser extintas dos pensamentos, abrindo o campo da Consciência de que tudo e todos se integram em continuidade e elevação, e a partir daí, poder-se-á criar o Novo .

A vida é vasta, expansível e toda intenção individual ao bem comum, é atingida pelo autoconhecimento profundo, ao sentido evolutivo da Criação.

por Fred Cury…

Autor do Livro Freed On Life, o Amanhecer da Consciência…

Disponível no link: https://clubedeautores.com.br/book/188125–Freed_on_life#.VavguF9Vikq

The intention … (english version)

When some thought intends to create, the result is always comprehensive and expansive, but if the intention refers only to personal goals, usually involve everything that is expected to acquire advantages in material scope … is understandable … because the system was designed to absorbing at most the entire outer material produced …

There is an insatiability here, because the material is illusory, a hypnotic matrix of real perceptions and skills of Being … No doubt, the objectives are to master the information of the human ego and divert it to the focus of everything not inherent in the Divine Being . Here are the real intentions and purposes of the arrogant and foolish, but arbitrary free who chose to separate himself from his Source …

Let us return to the intentions … every action aimed at an individual absorption of interest, generates results scarcity around him, a false sense of victory, aiming to justify all the action as the very survival. Due to such precepts implanted in civilizations, especially Western, we witness the results of imbalance and lack of resources, in these times. It would be prudent for such souls understand, how lonely are the concepts to absorb, suppress and destroy everything around them …

Based on the Oneness of Creation … all really in the intend for the common good, could not offer any results if not the abundance, prosperity, the advancement, collective creativity and happiness.

All you intend to vision and perception in favor of the whole, can only generate balance between manifested existences, which share the same origin.

What the New Age proposes, is not the new, but a renewal, the regeneration of human knowledge, suppressed by ignorance of the way of power, possession and survival. It is not necessary to establish a new society to redesign everything, just understand that society should be extinguished of thoughts, opening the field of consciousness that everything and everyone are integrated in continuity and elevation, and from there, power shall be create the New.

Life is vast, expandable and all individual intention to the common good is achieved by the deep self, the evolutionary meaning of creation.

by Fred Cury

Book author: The dawn of consciousness …

A consciência de unicidade…

A origem de tudo o que se manifesta nas experiências, advêm da forma de interpretação, respostas mentais e emocionais aos fatores externos, e da forma como processá-los, interiormente ou superficialmente…

As respostas geralmente são acionadas mediante as contrariedades, sob as mesmas energias vibracionais inferiores, das quais tais situações consideradas controversas à nossa vontade são caracterizadas. Neste fator energético, nossas vontades acabam por serem convergentes ao que não desejamos, pois tais circunstâncias tornam-se objetivos pelas atenções dispensadas a elas.

Por tais questões, muitas vezes, não há atenções focadas a situações iluminadas, que poderiam ser percebidas no mesmo nível de aspectos vibracionais mais elevados, produzindo respostas de nossos corações sob as formas de gratidão, ou até compartilhamento por dádivas recebidas.

Se todo Ser manifestado possui o dom de criar realidades… nas adversidades podem-se criar as resistências que multiplicam o infortúnio, podem-se criar defensivas que multiplicam o medo, pode-se assimilar e auxiliar a propagação do medo que alimenta a escuridão…

Todavia, nas sutis, porém poderosas e edificantes manifestações de Luz, pode-se abrir portais às inspirações que conduzem ao equilíbrio, o equilíbrio que produz beleza, a beleza que multiplica a perfeição, a perfeição que conduz a harmonia. E nesta harmonização, as barreiras e contrariedades não terão espaço para fluência, perante o reconhecimento de que cada alma deseja para si, pelos próprios potenciais, o mesmo Amor que para todas as almas e o todo existente.

Pelos dons de criação das realidades que nos são inerentes, porque não criar novos espaços para as energias elevadas?

As experiências de poder, domínio, confronto, sobrevivência e subserviência já estão concluídas como se percebe, e comprovadamente, devem diluir-se ao fracasso de seus preceitos ilusórios, e dissiparem-se nas suas irrealidades perante a real evolução do espírito.

por Fred Cury…

Autor do Livro Freed On Life, o Amanhecer da Consciência…

Disponível no link: https://clubedeautores.com.br/book/188125–Freed_on_life#.VavguF9Vikq

The consciousness of unicity (english version

The origin of all that is manifested in the experiences, are the way of interpretations, mental and emotional responses to external factors, and how to process them, internally or superficially …

The answers are usually triggered by setbacks under the same lower vibrational energies of which such situations considered controversial at will are characterized, in this energy factor, our wills end up being convergent to what we do not want, as such circumstances become targets for the attentions lavished upon them.

For such issues, often, the attention is not focused to lit situations, which could be perceived at the level of higher vibrational aspects, producing answers of our hearts in the forms of gratitude, or even share for gifts received.

If all manifest being has the gift of creating realities … in adversity can be created resistances that multiply misfortune, one can create defensive to multiply fear, one can assimilate and help spread the fear that feeds the darkness …

However, in subtle but powerful and uplifting manifestations of Light, to be perceived and focused, it can open portals to the inspirations that lead to balance, the balance that produces beauty, the beauty that multiplies perfection, the perfection that leads to harmony. And this harmonization, barriers and setbacks will not have room for fluency before the recognition that every soul desires for itself, by own potentials, the same Love for all souls and the existence whole.

If the gifts of creation of the realities are inherent in, why not create new spaces for the higher energies?

The experiences of power, domination, confrontation, survival and subservience have been completed as noted, and proven, should be diluted to the failure of their illusory precepts, and dissipate in their unrealities before the real evolution of the spirit.

by Fred Cury

Book author: Freed On Life, “the dawn of consciousness” …

O Silêncio…

(The silence – Original text in Portuguese language and transcription for English version)

É no silenciar que me abro ao manifesto. É quando me torno ausente do ilusório, para ser presente ao mundo.

O que seria Eu, sem saber a quantas anda meu espaço tão repleto?

O que diria Eu, se ainda separar-me de meu centro mais profundo?

No momento em que me escuto. Nesta paz que me preenche novamente. Cerro a passagem interventora do externo.

Repouso agora a mente. Neste quarto perfeito, de energia amorosa, de ambiente sereno.

Repouso em meu coração, recebendo onda após onda.. Que me explora, renova e inova. Estimula, inspira e aflora.

A energia suprema. Uma emocionante conexão com as sensações de um infinito. Que me isenta de medi-lo. Para eu exaltá-lo indefinidamente. Sem destino.

É bom sentir-me novamente acolhido neste colo quântico. Com a emoção apaziguada,  ouvir; “Liberta-te. Onde fores, Eu irei. Onde passares, passarei. Onde criares, criarei. A todos que amares, amarei. E sempre te amarei. Assim como sempre, sentirei teu amor como meu”. Diz-me a Fonte ao meu silenciar, e por tal silenciar, me reencontro como Eu.

Neste silêncio me reintegro, me fortaleço. Se me calo agora, é por querer proferir caminhos certos. Se eu ensurdeço agora, é por querer compreender o que desejas expressar. Nem tudo o que dizes vem de fora. Trarei da paz do meu silêncio um ressoar. E se pareço adormecido neste agora, é por saber que existe um novo despertar.

Posso lhe relatar o que nos diz o silêncio…

Como se nada mais houvesse, e realmente nada há, além de ilusões impostas como realidades. Podeis purificar este nada, destas alegorias hospedeiras das incertezas de um mundo imposto a ti por dominações, por tua atenção escravizada.

Deixa-te agora conduzir pelo vazio liberado, rumo ao teu interior imaculado. Em dado momento é um pequeno espaço silencioso, misterioso, mas o sentirás aconchegante. Aonde se chega sem a interferência dos ruídos externos, dos pensamentos defensivos ou reativos a algo que lhe foi atribuído além de tua vontade. Além de tua verdade.

Avança paulatinamente, para um fluir repleto de emoções que parecem novas. Para uma avalanche que traz à tona lágrimas sem compreensíveis razões. Não temas por isso. A purificação em atividade compassiva, vem preparando para ti a reabertura do portal de um retorno. Transmutando os últimos resquícios de emoções a serem enternecidas pela graça Divina, e revigoradas pelas energias da ressurreição…

Sei que neste momento podes chorar torrencialmente, e sentires desconfortos corporais, mas não saia deste espaço. Não precisarás tomar nenhuma ação, além da simples permissão.  Poderás também sentir, uma saudade profunda de maravilhosas experiências multidimensionais, que façam formigar e até amortecer várias partes de teu corpo físico, pois este, realinha-se atendendo codificações acionadas por memórias celulares, antes mesmo de que te lembres do que tenha sido teu acordo de alma. Aquele que teu aspecto mental comprometido por conceitos não inerentes a ti, até então não podia recordar.  A cada ar sagrado que inalares e liberares, sentirás liberações de pesos e inserções de sensações de leveza…

Avança pacificamente e confiante, sem pressa, sentirás tua mente agora ventilada, agora conduzida a um fluxo interminável,… de luzes, de cores, de geometrias, de códigos e informações. Fatores que lhe trazem uma sensação de integração de tua existência com o infinito…

Ouvirás certos sons isolados do externo, zunindo aos ouvidos, no início, incômodo por parecer-lhe algo novo, mas logo conduzindo-te à uma confiança e paz advindos de frequências sonoras de amor e proteção, até tomar o sentido de uma melodia. Os tons se harmonizando até a mais perfeita dinâmica sendo produzida. Uma orquestração cósmica…

Avança sem pressa. Irás perceber em teu caminho ressonâncias tão familiares, que nem te lembrarás das lágrimas que há pouco rolavam em tua face, e trarão em si a sensação de unicidade…

Estás agora a ver, mesmo com olhos cerrados; as cores, as luzes, a cintilância, a radiância.

Estás agora a desfrutar de melodias perfeitas de paz e belas definições, gerando pensamentos e sensações de que pertences a algo grandioso, ao mesmo tempo preservando o estado de humildade e reverência por ti, e um profundo sentimento unificado àquele que se faz pequeno e silencioso, para que aprimores o sentido criador e te reconheças novamente um Ser glorificado…

Avança sem expectativas. Sentirás que não há tempo para ti. Que o tempo do externo não atrasará propósitos eternos.

Recordarás que não há objetivos a atingir. Nenhum topo a ser escalado. Nenhuma fronteira a ser desbravada. Nenhuma escuridão que precise ser dissipada senão pela Luz do teu vazio renovado. Entenderás novamente que objetivos, metas e estratégias, são as verdadeiras abstrações das experiências…

Transferirás a ideia de um Ser pequeno como parte, à certeza de Ser grandioso como complemento. Que este grandioso integra tua existência, assim como és a parte integrante do todo.

Que o ilimitado é o teu caminho. O criativo é teu real propósito. O recordar é o teu destino. E o Amor, a inspiração incomensurável de tua vontade…

Terás a certeza de que poderás retornar. Porque acima de qualquer consideração e personificação ilusórias do que representou ser tua vida, estás novamente na clareza de quem és, e na certeza do que podes. De que nada lhe representará algo, além do que venha de tua unificada concepção. Compreendes que és para a Fonte, a evolução fluídica de toda divindade, em missão, mestria e reencontro à perfeição…

Escrito por Fred Cury

Versão em Áudio/Vídeo publicado no YouTube: https://youtu.be/yryyL5u3GWA

Música (Music): While Her Head is in the Sky, by Julie Elven

Fonte (Source): https://youtu.be/AYSqfTdnpRs

Julie Elven channel: https://www.youtube.com/channel/UCzfzqOBUDR5z_fYN2k4pEwA

The silence… (English Version)

It is in silence that I open myself to manifest …
That’s when I decide become absent from the illusory, to be present to the world …
What would I do without knowing how fares my space so full of the light?
What I can say, if still separate me from deepest of my heart?

The moment I hear myself … in the peace that can complete the senses again … without the intervening external … I will rest the mind … in this room perfect, of loving energy, and serene setting …
I rest in my heart, receiving a wave after another .. that will explore the new … … renews and innovates… Stimulates, inspires… For touching of my deep feelings … a supreme power … an emotional connection with the sensations of an infinite … that do not need measure … just hopes I exalt him again, indefinitely …

It’s good to feel welcomed again in quantum lap … and then happy to hear … “Free yourself … Where you go I will go … Where you pass, I will pass … Where you create, is my creation too … To all that you loving, is my love too… and always will, as always I feel your love as my “…
It’s all that tells Source to my silence … and in this silence, I feel the Source as I …
The silence is part of me, strengthen me … If callus me now, is for wanting to utter the certain words … If it seems like I do not hear now … is so I can understand what you want to express … because not everything that comes from you, comes from out … and I will bring peace of my silence for our resonance … and if it sound like I’m sleeping now, it is because I know that there is a new awakening …

I can tell you what it says in the silence …

As if nothing else had, and really nothing there besides illusions imposed as realities. Can you purify a nothing, these allegories host the uncertainties of a world tax to you for domination, for your attention enslaved.

Lets now lead the released empty, towards your immaculate interior. At one point is a small quiet space, mysterious, but you will feel warm. Where it gets without interference from external noise, the defensive thoughts or reactive to something given to you in addition to your will. In addition to your truth.

Progresses gradually to a full flow of emotions that seem new. To an avalanche that brings out tears without understandable reasons. In this state, there are not fear for you. Purification in quantum activity, has been preparing you to reopen the portal of a comeback. Transmuting the last remnants of emotions to be protected by divine grace, and invigorated by the energies of the resurrection …

I know that right now you can cry in torrents, and you feel physical discomfort, but do not leave this room in your heart. You need not take any action, beyond the simple permission. You may also feel a deep longing for wonderful multidimensional experiences that do tingle and to cushion various parts of your physical body, as this realign given encodings triggered by cellular memories, even before that thou art mindful of what has been your agreement of soul. One that your mental aspect compromised by concepts not related to you, hitherto could not remember. Every sacred air you inhale and releasing, you will feel releasing weights and inserts the lightness sensations …

Feel peacefully and confident, unhurried, you will feel your mind now vented led to an endless stream … lights, color, geometry, codes and information. Factors that bring you a sense of integration of your existence with the infinite …

You will hear certain sounds isolated from the outside, as ringing in the ears, at first, seem uncomfortable for him something new, but just leading you to a confidence and peace arising from sound frequencies of love and protection, to make sense of a melody. Tones harmonizing to the most perfect dynamic being produced. A cosmic orchestration …

Advances without haste. You’ll notice in your resonances way so familiar, that not you remember more that tears rolled down your face, and will bring with it the feeling of oneness …

You are now seeing, even with closed eyes; the colors, the lights, the scintillation, the radiance.

You now enjoy perfect melodies of peace and beautiful settings, generating thoughts and feelings that you belong to something great, while preserving the state of humility and reverence for you, and a deep unified feeling to that which is small and quiet, so you will feel as creator sense and you again one being glorified …

Advances without expectations. You will feel that there is no time for you. The external time not delay eternal purposes.

Will remember that there are no goals to achieve. No top to be climbed. No border to be cleared. No darkness that needs to be dispelled, only by the light of your new vacuum. You will understand again that goals, targets and strategies, are the real abstractions of experiences …

Will transfering the idea of ​​a small Being as part, to the certainty of being great as a complement. That this great part of your life, be integral part of the whole.

That unlimited is your way. The creative is your real purpose. The return is your destiny. And Love, immeasurable inspiration of your will …

You will have the certainty that you’ll return. Because above any consideration and personification illusory than be represented your life, you are again in the clarity of who you are, and sure that you can. That nothing represent you, something other than what comes from your unified design. You understand that you are to the source, the fluid evolution of all divinity in mission, mastery of the wisdom and reunion to your divine perfection …

Written by Fred Cury

Music: While Her Head is in the Sky, by Julie Elven

Source: https://youtu.be/AYSqfTdnpRs

Julie Elven channel: https://www.youtube.com/channel/UCzfzqOBUDR5z_fYN2k4pEwA