Algo sutil me disse…

(Text: Subtle something told me – Original text in Portuguese language, and transcription for English version)

Você se entristece por uma mágoa sentida… Debruça a cabeça sobre os braços e chora, e de repente, sentes um leve toque magnético em tua nuca, levanta o semblante e sente o toque em tua face, como se o sutil toque quisesse lhe enxugar as lágrimas… Você não vê de onde vem, não ouve uma palavra, mas você sente um arrepio a dominar-lhe o corpo, e começas a sentir que não é um domínio interventor, mas um caloroso abraço, como se o corpo estivesse sendo levitado lentamente, como se lhe quisesse transmitir sensações de leveza, de alento… Como se estivesse querendo te dizer: “Desperta linda Alma”...

Vede… Abra-te a expansão do que até aqui pudestes enxergar…  Sinta a magia que lhe circunda a existência…

Aquela brisa que recebeste ao observares as majestosas árvores, que exalam os aromas verdejantes de suas folhas… A acenarem para ti com o movimento dos ventos… E daquelas providas de flores, que não hesitam em exalarem os perfumes de suas obras primas…

Aquele pequeno pássaro que pousou, mantendo a distancia, arredio por tua presença, assim mesmo, manifestando seu canto como se quisesse lhe chamar a atenção, à amplitude da arte que pode expressar de seus pequenos pulmões…

Já ouvistes aquela melodia ressonante do correr das águas de um rio, ou da calmaria que o som das águas das chuvas lhe trouxe… Lembra-te também do mar movendo-se até a areia para lavar teus pés… Dos golfinhos em seus nados acrobáticos e sincronizados, expressando a felicidade por tua presença…

Recorda-te daquela sensação profunda de um acorde emitido de um instrumento musical, tocado por um humilde artista de rua, remetendo teu sentimento a algo familiar que ainda não pudeste recordar…

Apreciai de certo momento, em que um pequenino anjo sob a forma de uma criança, irradiante de espontânea pureza, acenou para ti, sorrindo como o Sol, repleto de energia vital, em sincera expressão grata, por estares naquele caminho de sua passagem…

Resgatai a frase daquele lindo poema que lestes outrora, em um velho livro exposto num “sebo”, ou escrito clandestinamente num muro, e pensaste; ”Isto foi escrito pra mim”…

Lembrai agora… O mundo não escureceu para ti, nem ao redor de ti, é apenas a experiência para que recordes, que a Luz que pode guiar-te, também pode emanar de ti novamente… Ao compreenderes que em meio a tudo o que foi obscurecido, as ressonâncias da Vida não te deixaram… Elas estão sutilmente, continuamente, a cada passo que deres por tua liberdade, comunicando-se contigo sem reservas, nas infinitas tentativas de inspirar-te, como Deus se expressando em várias faces, a declarar-te apaixonadamente, como uma mãe ao seu rebento; “EU TE AMO ETERNAMENTE”…

Fred Cury

Autor da página Freed On Life: https://www.facebook.com/freedonlife 

Versão em Vídeo/Áudio publicado no YouTube, declamado pelo autor:  https://youtu.be/Lo87UdGAioY

Subtle something told me … (English Version)

In you grieve for a heartfelt sorrow … you bends his head on his arms and cries, and suddenly you feel a slight magnetic touch your neck, lift up the face and feel the touch of your face, as if the subtle hint wanted wipe away tears for you … You do not see where it comes from, do cannot hear a word but you feel a shiver to dominate his body, and begin to feel that it is not an intervening domain, but a warm hug, as if the body was being levitated slowly, wanted to convey lightness sensations… As if trying to tell you: “you can awakening beautiful soul”? …

Look … Open up the expansion of which hitherto could you do no see … Feel the magic that surrounds its existence …

That breeze you received to observe the majestic trees that exude the lush aromas of their leaves … Waving for you with the movement of the winds … And those provided with flowers, that do not hesitate to exhale the perfumes of his masterpieces …

That little bird landed, keeping the distance, aloof by your presence, anyway, expressing his corner as if to draw your attention to the breadth of art that can express her little lungs …

You heard that resonant melody of the running waters of a river, or the calm that the sound of rainwater, brought to you … Remember also the sea moving to the sand to wash your feet … or dolphins in their acrobacies synchronized, expressing happiness by your presence …

Reminds that deep sense that a chord issued of a musical instrument, played by a humble street artist by referring your feeling to something familiar that you could not even remember …

Appreciate in the time, in which a little angel in the form of a child, radiating spontaneous purity, waved at you, smiling like the sun, full of vital energy, in sincere grateful expression, for being that way of its passage …

Redeem the phrase of a beautiful poem that you read once in an old book, of a “old library”, or written clandestinely in a wall, and you thought; “This was written for me” …

Remember now … The world is not dark for you, nor around you, it’s just the experience to that record, the Light that can guide you, can also emanate from you again … By understanding that amid all that was obscured, the resonances of life have always been there… They are subtly, continually, every step you give for your freedom, communicating with you without reservation, the endless attempts to inspire you, as God expressing by various faces to declare If passionately, like a mother to her offspring; “I LOVE YOU FOREVER”

Fred Cury

Ausência

Se sentires alguma ausência, não te aflijas, será pela saudade temporal de tua intimidade Divina… Toda tristeza que sentes, é por estares na divisão entre o que pensas quem és e quem és realmente, adormecido em sono profundo…

Quando tens a sensação de separação de tua inata Divindade, é como alguém de visão obscurecida que encontrou um baú vazio, cujo tesouro nunca foi retirado… é como estar distante do próprio Ser…

Reencontrarás tua Fonte quando vibrares mais alto, a partir de um simples gesto… não é preciso ser complexo para ser magnífico…

Quando olhares para alguém, interprete como a luz de uma alma além de um corpo…
Quando disseres algo, expresse o bem maior intencional em uma simples frase…
Quando auxiliares, que seja com o prazer de ver-te auxiliado… Quando agradeceres, lembre-se que pequenos gestos criam grandes proporções, assim como grandes rios evoluem de pequenas nascentes…

As maiores recompensas não estão em grandes remunerações, mas nos grandes efeitos que teus pequenos feitos produzem adiante…

Pequenas sementes são férteis a grandes vegetações, florestas e são provedoras de frutos, flores, beleza, abundância e equilíbrio…

Quando te encontrares realmente, amarás a ti, por redescobrir-te como a criação que cria… e entenderás que tudo o que esperavas do alto, para que caminhasse ao teu lado, lhe sustentasse ou resgatasse, não poderá vir ao teu encontro, direcionar o teu destino ou cumprir propósitos de que és capaz…

Porque sempre esteve dentro de tua essência… e não existirias simplesmente… se nenhum poder tivesses na existência…

Fred Cury

Trecho do Livro: O Amanhecer da Consciência… 

Versão em Vídeo/Áudio publicada no YouTube: https://youtu.be/L2sOZ-00fnE

Absence … (English Version)

If you feel any absence, is the temporal miss of your Divine intimacy … Any sadness you feel, it is because you are in the division between what you think who you are and who you are really, asleep in deep sleep …
When you have a sense of separation from your innate Divinity, it is how a obscured vision looking for an empty ark, whose treasure was not withdrawn … it’s like being away from the very being …

Again you will find your source when you vibrate higher, from a simple gesture … no need to be complex to be magnificent …

When you look at someone, interprets as light of a soul, to plus a body …
When you say something, express the best intentional and in one simple sentence …
When you aid other, it is with pleasure in see you help yourself … When you thank, remember that in small gestures you can create enormous effects, as well as major rivers evolved from small sources …

The greatest rewards are not great amounts, but great effects that your little actions can generate on future… as small fertile seeds, are capable of generating large vegetations, forests, fruits, flowers, beauty, abundance and balance …

When you find yourself really, you will love yourself, in rediscover yourself as a creation that creates … and you will understand that everything you expected from above, so to walk at your side, for sustain or rescue you, can not come to find it, direct your destiny or fulfill purposes that you are capable …
Because it has always been within your essence … and you can not exist simply… if you have no power on existence …

Fred Cury

Puros de Coração…

Grandes manifestações de Amor Divino, em tempos de incompreensões massivas, são interpretadas como insanidades…

Sabeis, àqueles que diagnosticaram consciências despertas como insanas… Esta suposta condição de loucura, em dado e breve momento, apresentar-vos-á com elementos de cura… Para a cegueira, a surdez, a ira, a depressão, o julgamento, a soberba, o egocentrismo e o medo… Sinalizando com tais elementos, o poder Divino do Amor inato a cada coração, até aqui em segredo…

Quando for o momento, não hesiteis em procurardes auxílio dos que outrora supunham terem enlouquecido…

Os sinceros são Mestres na ciência do Perdão. O Perdão é toda energia de renovação e alinhamento à perfeição… Pode-se inseri-lo na ciência de evolução contínua… Em sua poderosa emanação, oferece um fim elevado, perante a ação não meritória, onde seria contínua no ódio incentivado pela condenação, mas os puros de coração percebem, se dissiparia descontinuada a vingança, pelo emprego absoluto do Amor…

Os puros de coração, por sua fé e confiança na Divina Presença, não possuem reservas em partilhar a energia do Amor, pois entendem esta soberania como consumada realidade, perante a real evolução na eternidade…

Todavia, isentam-se de vaidades, pois entendem que há uma linha tênue entre admiração e idolatria, mesmo sendo tão distintas…

Sabem, pois, que ultrapassada esta linha rumo à idolatria, os separados do autoconhecimento Divino, sentiriam em demasia, uma carência de algo que julgariam estar perdido, buscando incessantemente encontrar naquele ser idolatrado…  Pois não perceberam a ressonância da admiração sentida, onde teriam o próprio discernimento de suas essencialidades autônomas inerentes, por unicidade à Fonte, que reconhecida, flui por meio de cada Ser, em manifesto constante…

por Fred Cury

Pure in Heart … (English Version)

Great manifestations of Divine Love in times of misunderstandings, are interpreted as insanity …

Those diagnosed awakened consciences as insane … This alleged condition of madness, at any given moment, will present healing elements … for blindness, deafness, anger, depression, judgment, pride, self-centeredness and fear … Signaling with such elements, of the Divine power of the innate love every heart, hitherto secret …

For those who judge supposed to be crazy, are free to come for them. Are the true Masters in Science of Forgiveness. Forgiveness is energy renewal and alignment to perfection …

It can be said that forgiveness is inserted into the science continuously evolving … In his powerful emanation, it offers high end, to action no meritorious, which would be continuous hatred encouraged by condemnation, but the pure in heart perceive, would dissipate discontinued a revenge at absolute employment of Love …

The pure in heart, for your faith and trust in Divine Presence, have no reserves to share the energy of Love, because they understand that this sovereignty is accomplished fact, to the evolution in eternity …

However, they repudiate vanities, because they understand that there is a fine line between admiration and idolatry, even being so different …

Know therefore, that everyone who exceeded this line towards idolatry, are separate of your self divine. They feel lack of something that would think be lost, searching incessantly find in the being idolized … For not recognize the resonance of when felt admiration, where would have its own discernment of its inherent autonomous essences, for oneness with the Source, which in be recognized, flows through each being in constant manifest …

by Fred Cury

À Bem Amada…

Que fonte de infinita beleza tu és… Estivestes aqui… Plantaste tuas sementes de bondade e proteção… Glorificaste a existência humana com singelos atos, orações, emanações de um coração puro e verdadeiro…

São incontáveis as lições que absorvemos de tua humildade, tua devoção à vida fluídica da Fonte… Nos teus exemplos, quando ao teu Bem Amado filho encaminhastes com maestria, pelos caminhos floridos feitos de tua suave essência… De onde arrancaste os espinhos do trajeto, pela dispensação do Cristo ao mundo dos cegos… Para que voltássemos a enxergar-nos, a nós, uns aos outros… a Deus… a Mãe, ao Pai… Este foi o teu projeto e que se faz agora de regresso…

Viestes, preparada pelas mais elevadas virtudes da essência de tudo… Abriste teu coração ao sacerdócio do grande espírito Criador… Criaste a irradiante energia em cada toque carinhoso, cada sábia palavra sutil de tua fala melódica em tons cósmicos, cada manto tecido com suas delicadas mãos, o sentimento de um novo mundo, que agora desponta do Grande Sol num horizonte tão próximo, próspero e belo…

Adornando cada Ser com Luz, a Luz protetora, orientadora, compassiva, realizadora… A grande referência da maior e incondicional partilha, deste teu coração de ilimitada fonte de Amor…

Quantos de nós já descansamos nossas cabeças pesadas e confusas em teu colo, e lhe pedimos que nos acariciasse com tuas mãos consoladoras?

Tu te preparaste nas nuances do Amor Maior… Viestes presentear a superfície com tua beleza intocada… Tua pureza em meio às máculas impregnadas e as crenças destituídas…

Mas venceste… Como vencemos por tua entrega… Pois sabemos, quando partistes do corpo que habitastes em teu propósito, imprimiste para sempre no coração da Mãe Planetária, no coração de cada Ser vivente, tua marca de Rainha das virtudes, Deusa do incondicional Amor, Mestra do reconhecimento… E aqui permaneceste nos corações ansiosos por verdade, plenitude e liberdade, como a eterna Mãe, a Bem Amada Mãe Maria, a Mãe de nossa humanidade…

Já lhe pedi muito, minha Bem Amada Mãe… Mas mudo o tom do que lhe peço… Nessa Paz em que me vejo, com elevado sentimento… Não saberei dizer em versos… Peço apenas que venhas ao meu coração, que tão bem conheceste… E aqui verás, abaixo de teu nome nele impresso… Com os presentes que me destes, que “Eu te Amo eternamente… Sem dimensões como o Universo”…

Fred Cury

Autor do Livro Freed On Life, o Amanhecer da Consciência… Disponível no link: https://clubedeautores.com.br/book/188125–Freed_on_life#.VZq39vlViko

Versão em Edição de Áudio/Vídeo, por PALMA: https://youtu.be/Qx5f_g9ydLA

To the Beloved Mother… (English Version)

That source of infinite beauty you are … You been here … planted your seeds of kindness and protection … glorified human existence with simple deeds, prayers and dedications from a pure heart and true …

There are countless lessons we absorb from your humility, your devotion to the fluidic Source of Life … In your examples, when thy Beloved son walked masterfully, by flowered paths made of your gentle nature … Where plucked thorns of path, for dispensation of Christ to the world of the blind … For us to come back to see us, to us, one to other … God … the Mother, the Father … This was your project, and which now return …

You have come prepared for the highest virtues of the essence of all … You opened your heart to the priesthood of the Great Spirit Creator … You created the radiant energy in each affectionate touch, every wise subtle word of your speech in cosmics melodic tones, in mantles tissues with your delicate hands, the feeling of a new world, which now emerges the Great Sun within a horizon so close, prosperous and beautiful …

Adorning each being with Light, the Light protective, guiding, compassionate, creator… You are great reference and unconditional sharing of thy heart of unlimited source of love …

How many of us to rest our heavy and confusing heads in your lap, and ask you to caress us with your hands consoling?

You have prepared yourself on the nuances of the Greater Love … You have come gifting the surface with your beauty … With your purity, amid the impregnated stains and devoid beliefs …

But you won … As we gain with you next to us … But we know, when you is gone of your body, you left in your way  printed forever in our hearts and the heart of Mother Planetary,  his brand of Queen of virtue, Goddess of Unconditional Love, Master of recognition … and here you remained, to the hearts look forward to the truth, fullness and freedom, as the eternal Mother, Beloved Mother Mary, the Mother of all mankind …

I have already asked a lot, my Beloved Mother … But I will changing the tone of what wish … this peace that you see me now, with a high sense … I will know not say in words … I ask you to come to my heart, that you known so well … and here you will see, below your name printed on it with gifts you gave me, is written; “I love you forever… and there are no dimensions for my love, as the universe”. ..

Fred Cury

O mundo vem de ti…

Podes ver além de ti, a partir de ti… Não precisas de um mundo planeado além do que lhe é dado como essência…

Se quiserdes sentir as sensações mais intensas de existir,… vibra aquilo que desejas…

Não há projeto que supra tua verdade… Tua inspiração se manifestará perante tua arte de viver… Sentirás felicidade plena… Porque de ti emana e contagia o campo em tua fluência…

O mundo que se materializa de cada coração é singular na variedade, mas unificado no equilíbrio, do ímpeto fluente de um Coração Primordial de Amor…

Vivei Alma inflamada de Luz… Vivei com toda magnificência de tua vida, que vem de ti… Criai com tuas dádivas… Manifestai com tua alegria… Adorai com gratidão por entender-te por destino…

Olhai, pois, o que seria de cada rosto se sorrissem pelo orgulho de si mesmos… Não é impossível,  nem irreal… Sorria para ti, do que podes moldar. Representar de ti o exemplo, de como a plenitude irradiar…

É um Amor contagiante… Apontarias aos adormecidos da paixão por si mesmos, que efeitos causas ao mundo que criastes, porque tu criaste… É o mundo que moldas com a propriedade de seres existente para isso…

Gerar felicidade, pois a conheceste quando em Paz consigo reconheceste,… de ti se fez, … a ti retorna reverenciada, como a Vida em um sorriso, ao te sentires Vida amada,…por tua Fonte em regozijo…

Fred Cury

Autor da página Freed on life https://www.facebook.com/freedonlife/ e do Livro “O Amanhecer da Consciência”

Edição de Vídeo/Áudio por PALMA: https://www.youtube.com/watch?v=v91xdLZVvrQ

The world comes from you … (English Version)

You can see apart from you, in you … You do not need a world planned beyond what is given him as the essence …

You would feel with the most intense sensations to exist … for this, vibrates what you wish …

There is no design that meets your truth … Your inspiration will manifest of your art of living … You will feel in complete happiness, that of you emanate and covers the field in your fluency …

The world that materializes of every heart is unique in the variety, but unified in balance, fluent momentum of a Primordial Love Heart …

Bright and inflamed by light of your Soul … You can live with all the magnificence of your life, which comes from you … You and your gifts … manifest with your joy … Worship with gratitude, in understanding that you even is your destiny …

Behold, then, you can transforming each face to smile with pride by themselves … It is not impossible, nor unreal … Smile for you, than you can shape in your reality, and represent you as the example of how fullness radiate …

It is a contagious love … you could wake the passion asleep from each heart, by themself, which causes effects to the world you have created, because you created, this is the property of each existence… Generate Light, because you met peace in yourself … and from you,… generating returns revered in Life into a smile… and when you feel loved by life … will the rejoicing of your Source…

Fred Cury

Page author Freed On Life: https://www.facebook.com/freedonlife/ and of the book “The dawn of Consciousness”

Fluência…

Minha vida não é uma oportunidade, apenas fluência natural da verdade…

Também não há de ser a mim um privilégio, recordei –me sendo Eu a própria vida…

A vida não me foi concedida, foi emanada do coração da Fonte. … Cujo nome pode ser Deus, pode ser simplesmente Vida… E se Eu Sou da Fonte, de Deus, ou da Fonte de Vida de Deus… Porque não chamar de “Eu”? Porque não Ser o horizonte?

Se Eu tenho em mim o Amor como essência, Eu Sou fruto do Amor…

Se o Amor foi o átomo de um sonho Divino, e se Eu me reconheço no Amor assumido… Eu Sou a manifestação deste sonho, tanto quanto Eu Sou o destino…

Não há mais como, estando assim desperto e por tanto Amor que vibro, separar-me do que Eu Sou… Se eu posso amar a Deus, em comunhão comigo…

Minha inspiração advém da Criação, do mesmo ímpeto de Criar…

A Criação é tão soberana de origem, quanto abundante e sábia em humildade…

Está naquela sutileza que posso perceber ao abrir as comportas do coração, para o Amor emanar…

Posso observar, em meio a uma calçada de concreto, numa construção fria de aparente realidade, uma pequena planta crescer rompendo à lógica cega numa fresta. …. Simplesmente por Ser Vida intermitente…  Mesmo que se tente interrompê-la, ela segue manifesta…

Se Eu posso perceber Vida em pequenas nuances, porque não vê-la em tudo?

Porque não vê-la em mim por fim, como o começo de meu mundo ?

Se Eu posso cria-lo por saber, que do criar sou oriundo…

E a partir do Amor profundo, ao invés de resgatar ou corrigir, com a visão entorpecida de irrealidade…

Inebriar-me novamente à própria Vida. Diluindo Deus em mim. Irradiando liberdade…

Escrito por Fred Cury

autor da página Freed On Life: https://www.facebook.com/freedonlife/

Versão em Vídeo/Áudio editado por PALMA: https://youtu.be/0TajboNWYco

Fluency … (English Version)

My life is not an opportunity, just natural fluency of the truth … Also there is to be a privilege to me, I reminded myself I Am life itself …

The life not granted, but emanating from the heart of the Source. … Whose name can be God, it can be simply life … And if I am of the Source, of God, or of the Source of Life of God … Why not call “I”? Why not be the horizon?

If I have in me the love as the essence, I am the fruit of Love …

If Love was the atom of a divine dream, and I recognize myself as assumed Love … I am the manifestation of this dream as much as I am the fate …

There is no way, being I so awake and feeling a Love so immeasurable, separate myself than “I am” … If I can loving God, communing with myself …

My inspiration comes from the Creation, the same urge to create …

Creation is as sovereign of origin, as abundant and wise in humility…

Is a subtlety that I can see, when I open the floodgates of the my heart, to the love emanating …

I can observe, in the midst of a concrete sidewalk on a cold and apparent reality, a small plant grow breaking the blind logic in a crack. …. Simply by being intermittent life … Even if you try to stop it, she follows in manifest …

If I can see life in small nuances, why not see it at all?

Why not see it in me finally, as the beginning of my world?

If I can create it by wit, that I come of creation …

And from the Deep Love, rather than rescue or correction, with dulled vision of unreality …

I can involve me back with life itself, diluting God in me, and radiating freedom…

written by Fred Cury

A porta dos fundos…

A luz de minha própria divindade reascendeu a chama da compreensão…

Este destino já está diante de mim, sorrindo para mim, içando-me ao patamar elevado de um pedestal de amplitude…

Vejo luzes piscando de cada coração… Vejo feixes de luzes por sobre as coroas humanas… Vejo-as brilhando incandescentes, como uma inevitável força de persuasão ao despertar do desamparo, e vejo a clareza de cada manifesto caminhando ao próprio alicerce…

Para tanto, basta ser existente, basta Ser fruto dos poderosos ramos de existência da Árvore da Vida…

A porta dos fundos, de meu limitante espaço que julgava seguro, seduziu-me a dirigir-me para ela, para constatar que o abismo estava além da porta da frente, e de porta dos fundos se mostra agora o acesso ao profundo… A última porta que será a primeira, o caminho do retorno… Minhas janelas, agora são portais… E todo dia é inspirador em seu esplendor…

Renasço na certeza de que o mágico não é a fuga, nem o refúgio, é simplesmente o mágico… A realidade omitida… Basta apenas senti-lo, entende-lo, abrir-se às suas possibilidades infinitas…

Se ilusionistas nomearam o caos como o fim, não importa… Sei que mesmo assustador, é o prenúncio do retorno à liberdade… Já aprendi como não criar, testemunhando dormente a ilusão de não ser fruto da vida, de reduzir um universo inteiro à limitação do medo de perder algo que não possuo, de limitar aspirações a um nível de divisão e perjúrio…

O cumprimento é chegado, o despertar desponta, a irrealidade se suicida por sua inconsistência…

Abri meu coração para ti, Alma adormecida… Fiquei por aqui para ser um dos guias da porta dos fundos… Saia por ela se precisar, se desejar retornar… Você reencontrará a própria vastidão do teu Ser lhe aguardando, para lhe abraçar, e conduzir-te ao voo da expansão com as asas feitas de teu Amor abrangente… E ao reencontrar-te em teu Deus inerente, seja bem vinda Alma Divina ao teu despertar…

Fred Cury

Autor da página “Freed On Life” e do Livro “O amanhecer da Consciência”

https://clubedeautores.com.br/book/188125–Freed_on_life#.VavguF9Vikq

The back door … (english version)

The light of my own divinity reignited the flame of understanding …

This destination is already in front of me, smiling at me, hauling me to the high level of a visionary pedestal …

I see flashing lights of every heart … I see light beams, above human crowns … I see them shining incandescent, as an inevitable force of persuasion to the awakening of the helplessness, and I see the clarity of each manifest to steps for the very mastery…

To do so, just be existing, simply be the fruit of existence of the powerful branches of the Tree of Life …

The back door of my limited space, that I judged safe, seduced me to drive me into it, to see that the precipice was beyond the front door and the back door now shows the access to my being deep … The last port that will be the prime, the path of return … My windows they became portals … And every day are inspiring in its splendors …

Reborn in the certainty that the magic is not to escape or refuge, is the omitted reality, is simply magical… One has only to feel it, understand it, open up their infinite possibilities …

If illusionists, called the chaos as the end, no matter … I know that even scary, is the harbinger of a return to freedom…  Where I learned how not to create the illusion of witnessing dormant not be the fruit of life, or reduce an entire universe to limitation of fear of losing something that I do not have, to limit aspirations to a split level and perjury ..

The compliance is reached in the awakening, the unreality commits suicide by their inconsistency …

I opened my heart to you, soul awake … I was here to be one of the door guides of funds … Come if you need, if you want to return, and again find the very vastness of your Self, waiting for embrace you, and to bring thee into the expansion to flight with wings made of your comprehensive Love … and rediscover yourself in your inherent God…

Be welcome, Divine Soul to your awakening …

by Fred Cury…

Edição de Áudio/Vídeo no You Tube: PALMA

Link da versão Áudio/Vídeo: https://youtu.be/KYrXFksrsvI

O Anfitrião…

(Welcome to the heart – Original text in Portuguese language and transcription for English version)

Agora, com o pensamento envolto pela redoma da paz que recriei, repouso um pouco à beira das águas tranquilas de um lago cristalino… aqui no coração que me chamou por instantes…

Ele não pediu-me apenas a atenção… mas desejou ser amado como antes…

Ofereceu-me fontes de inspiração… a liberdade… uma ponte de Luz… uma viagem ao reencontro com a verdade… Ele me diz que o universo é nosso provedor, se assim o desejarmos… que a vida não se limita ao começo, meio e fim… a expansão é contínua e ininterrupta… porque a Criação o quis assim…

Eu pude sentir o sabor amargo ao separar-me desta essência… mas o palatável sabor do retorno se faz agora tão intenso, reconhecido e desejável…

Permito-me entorpecer na introspecção… naquela tão flutuante sensação de vida poderosa…

Meu reino não é deste mundo… não como pensei pela mente invadida, ao emaranhar-me em certo tempo às malhas das experiências limitantes…

Está onde me coloco na direção de mim mesmo… o elevado sobreposto ao holográfico espaço das imperfeições…

Sinto-me alma livre, ávida por criar… por recriar-me… fazer aprimorar-me no que Eu fui… até onde Eu Sou…

O reencontro com o coração deu-se ao limiar entre o Ser desencontrado, perdido, sem rumo, e o Ser que percebeu um sinal inovador, ressonante… conduzido ao Ser profundo…

Eu entendi enfim… deixei de Ser minha própria expressão, para ser a projeção de um aspecto do condicionamento… isso já se foi… agora não mais temo perder o que realmente nunca tive e ser o que realmente nunca fui… não há o porque do meu lamento…

Tenho a mim de volta… o Ser impreciso, sem expectativas… sem ontem… sem amanhã… sem o último suspiro… pois reconheço a eternidade… e por assim me definir… o que “Eu Sou” é a realidade… O coração é o anfitrião das boas vindas, reunindo o Ser que outrora sonhou ser renegado, ao que se faz reconhecido em seu retorno, como à Fonte por Amor unificado…

por Fred Cury…

Versão em Áudio/Vídeo, declamado pelo autor: https://youtu.be/KJ2khar62-E

Welcome to the heart (english version)

Now, with the thought wrapped by the peace that I recreate, I can rest a little on the edge of tranquil waters of a crystal clear lake, here in the heart, … who called me for a moment …
He did not ask me just attention … but wanted to be loved as before …
He offered me sources of inspiration … the freedom … a bridge made of the light … a trip to the reunion with the truth …
He tells me that the universe is our provider, when we want …
That life is not limited to the beginning, middle and end … the expansion is continuous and uninterrupted … because the Creation wanted so …

I could feel the bitter taste, in separate me from this essence … but the palatable taste of return is done now so intense, recognized and desirable …
I can numb me in this insight … and so feeling floating as powerful life …

My kingdom is not of this world … not as I thought, with invasion of mind, in entangle me in a certain time in the clutches of limiting experiences …
My kingdom is where I stand in the direction of myself … overlaid to holographic vision of a space of the imperfections …
I feel free soul, eager to create … to recreate me, … improve in me of that “I went” … to what am I …

The reunion with my heart ocurred up in the threshold between a Being separated, lost, directionless, and a being that realized an innovative signal, resonant … the “deep Being” …

I understood at last … In the past, I stopped being my own expression, to be a projection of an aspect of conditioning … it is gone … now I no have fear losing what never really I had … so, no there why in the my regret …

I got back to myself … the “Being”, without logical, no expectations … without yesterday or tomorrow … without the last breath … because I recognize eternity … and so to define me … that “I Am” reality …

The heart is the master of welcome, for the Being who once dreamed of being renegade, and now, it becomes recognized on his return, to Source of Love unified …

by Fred Cury