A Nova Visão…

Olhei ao redor do externo, algo antes projetado a ser belo, sendo devastado… Vi um mundo que não desejei ver, fui alguém que não quis ser, agi por uma coerência que não quis ter…

Não há nada para mim que esteja fora de mim… Nada posso oferecer a partir de mim, senão o melhor de mim… Essa grandeza guardada num casulo protetor, à espera de minha vontade de retornar, de unir-me à tudo pela essência, de elevar-me por tudo a que vim…

Eu não pertenço ao mundo inventado, desconexo, que insiste em demonstrar que o certo é o errado e o errado o certo… Aceitar o mal como necessário e o bem como utópico… A mentira como medida e a verdade descartável… O medo como um porto seguro sobrepujando a fé… Esta falsa realidade holográfica que cega-me à luz, que a torna inatingível, improvável…

Esta forma de ser não sou eu, tais ilusões não me definem… Não alegram, não acrescentam, não mudam e não transformam… e por fim não evoluem…

Sobrevivência não é vida intensa… Agora que renasço, não preciso de mais imperfeições para tornar-me perfeito, nem de mais desarmonias para ser equilibrado… Nem justificar uma vitória pela derrota alheia, se o próximo é a outra parte do crescimento… O sagrado, divino, unificado…. Saio agora de cena, em férias dimensionais permanentes… Sem retorno a este sonho que por mim não foi sonhado… Sem colocar de novo os pés em um caminho bifurcado… Sem participar de um plano por outros planejado…

Viajo agora para dentro de mim, e saberão de mim pelo Eu manifestado, reconhecido, renovado… O criador do meu destino… o Eu ilimitado, feliz, pleno… Em um mundo sentido como meu, que tornou o verdadeiro Eu, realizável… Sentindo amar a Vida como Deus…

Fred Cury

The new vision … (English version)

I looked around the outside, something previously designed to be beautiful, being devastated … I saw a world that did not wish to see, was someone who was living in a coherence that would not wish for me …
There is nothing for me that is outside of me … Nothing I can offer from me, if does not come from within… This magnitude stored in a protective cocoon, waiting for my desire to return, to join me at all by essence, reborn for everything that I came …
I do not belong to the invented world disconnected, which insists on demonstrating that right is wrong, and wrong is right … accept evil as necessary and as well the Love as utopian … The lie acceptable, and truth as disposable… Fear as a safe haven, overwhelming of the faith … This false holographic reality that blinds me to light, which makes all blessing unattainable, unlikely …
This way of being is not for me, such illusions nothing can define without rejoice… Nothing can add, do not change and do not evolve …
Survival is not intense life … Now that the essence can reborn, I do not need more imperfections to become perfect, or more disharmony to balance… I do not need justify a victory as others’ defeat, the next is other part of growing up … The sacred, divine, unified …. now I leave the scene in permanent dimensional vacation … No return to this dream that not is mine… Without putting the feet back on a forked path. .. No part of a plan planned for me…
Now I will travel inside of me, and I will be recognized, renewed as creator of my destiny … Where no limits, happy in returning to a world as mine, who I see the true I, in dreams achievable, feeling the love by life as God …

Fred Cury

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s