O elemento vida…

Sei que muitos já não me reconhecem em suas interpretações…

Mas eu digo, estou a poucos passos de passar pela porta de acesso para onde realmente estou…

Pois eu também pensei que me reconhecia, mas agora sei, em lucidez presenteada por um novo ciclo evolutivo, que era apenas um personagem que criei em algum ponto, onde eu havia me esquecido de minha essência…

Não possuo instruções acadêmicas que a sociedade capital exige, então, passei a ser ninguém, para um mundo de vários ninguéns, com ilusórias noções sobre serem alguém…

O ser individualizado… Tão solitário sem saber, que as únicas companhias que desfruta, é de uma dama perspicaz, chamada Hipocrisia, e um cavalheiro muito ardiloso chamado Orgulho, ambos da nobreza dos reinos da ilusão…

É curioso esse conceito, que geralmente suprimi talentos inatos, trazidos das dimensões criativas, para omiti-los do mundo e do próprio Ser…

Por tanto tempo reprimi a música e a literatura dentro de mim… Estimava não ser valorizado sem estudo… E realmente não fui…

Todavia, para que eu precisaria de tal valor? Escondi-me de mim mesmo, por querer agregar valores a uma lista de validações externas ao meu coração?

Eu canto, porque há uma voz dentro de mim desejando experimentar, como é reproduzir sons pela voz humana, acalorada por um coração que Ama com todo o poder do Amor…

Escrevo, reproduzindo nas palavras, a paixão de um Criador por sua Obra prima, a Vida… Multiplicada em intermináveis expressões e formas…

Às vezes, levo nosso Deus de Amor para passear, para apreciarmos nas sensações em uníssono, toda a gloriosa natureza de mais uma das obras da Vida, a Mãe Terra… Buscando nada mais do que uma frase ou uma melodia da infinita fonte de inspirações… Louvando e honrando tanta beleza e perfeição…

Sei que muitos não me reconhecem mais… Mas irão conhecer-me realmente em si mesmos, porque o passado não precisa ser o mesmo do agora… Ele pode ser alterado pela renovação…

Não há regras para passos evolutivos, que deixam de ser represados pelas reincidências na reconquista da liberdade…

Há uma energia em mim pedindo para criar novamente, é o que me define o “Eu Verdadeiro” que desponta, e não hesito hoje em manifestar a liberdade que me é dada como dádiva…

É a energia também não reconhecida por muitos…

Por muito tempo nos ensinaram a busca-la no alto, a ajoelharmos inferiorizados em reverência e temeridade… Àquele que categorizaria seletivamente, distinguindo pecadores destinados à punição, instigando-lhes o ódio, ou subservientes de uma falsa moral planeada, aprisionados ao medo de terem o mesmo destino…

Ao dizer “Não” para falsas impressões em torno de Deus, de um “ninguém” para um sistema que me agraciou com sua rejeição, recuperei alguém dentro de mim… É maravilhoso saber, que está em todos os corações, que hora me estranham como se Eu não fosse o mesmo, e hora despertarão para se reencontrarem com suas verdades…

Redescobrirem que ser humano, não é a definitiva manifestação da essência da Vida… Alguém que opta por uma vida espiritual a certa fase de suas experiências, a fim de aproximar-se de Deus… Mas, um aspecto biológico transitório da natureza, por onde o Espírito Divino inspira-se e se expressa, reverenciando assim, por meio de cada coração unificado, as várias formas sagradas de enxergar, experienciar e manifestar o seu grande Amor por todas as suas criações…

Fred Cury

Autor da página do Facebook Freed On Life: https://www.facebook.com/freedonlife

Edição de Vídeo/Áudio por PALMA: https://youtu.be/mY5qssC6_MM

The life element … (English version)

I know that many no longer recognize who I am in their interpretations …

But I say, I’m a few steps to go through the access door to where I am really …

For I also thought I can have recognized me, but now I know in lucidity with a new evolutionary cycle, it was just a character I created somewhere where I had forgotten my essence …

I do not have academic instruction that the capitalist society requires, then I became a “nobody”, to a world of many nobodies, with illusory notions about being someone …

Being individualized … So lonely without knowing that the only companions that have, is a shrewd lady called hypocrisy, and a very astute gentleman named Pride, of the nobility of the kingdoms of the illusions…

It is curious that concept, which usually suppress innate talents of the creative dimensions, to omit them from the world and of Being itself …

For so long, I kept music and literature in me, estimating not be valued without study … And it really was not …

However, for that I need this value? I hid myself, for wanting to add value to a list of external validation to addition of my heart?

I sing because there is a voice inside me wanting to try, as play sounds the human voice, heated by a heart that loves with all the power of love …

Writing the passion of a Creator for his Masterpiece, The Life … Multiplied in endless expressions and forms …

Sometimes, I will lead our God of Love to walk around, to appreciate the sensations in unison, of the a glorious nature of one of the works of the Life, the Mother Earth … Seeking nothing more than a phrase, or a melody in the inspirations of the infinite source, … praising and honoring such beauty and perfection …

I know that many do not recognize me anymore … But they will know me really in themselves, because the past need not be the same now … It can be changed by the renewing …

There are no rules for evolutionary steps, which are no longer held back by relapses in the reconquest of freedom …

There is an energy in me, asking to create again, it is what defines me the “True Self” that stands out, and does not hesitate today to express the freedom I have been given as a gift …

It is the energy also not recognized by many …

The past taught us to search it high, inferior to kneel in reverence and temerity … One who categorize selectively distinguishing sinners destined for punishment, urging them hate, or subservient to a false moral planned, imprisoned by fear of same fate …

By saying “No” to false impressions about God, of a “nobody” to a system that has given me his rejection, I regained “someone” inside me … It is wonderful to know that is in every heart, that considered me it strange as if I were not the same, the time awaken to being reunited with their truths …

Rediscover that human being is not the ultimate manifestation of the essence of life … Someone who opts for a spiritual life to a certain stage of their experiences in order to get closer to God … But a transitional biological aspect of nature , where the Divine Spirit is inspired by and expresses itself, so revered through each unified heart, the various sacred ways of seeing, experiencing and expressing his great love for all his creations…

Fred Cury

Facebook “Freed On Life” page author: https://www.facebook.com/freedonlife

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s