A lagarta…

Estou aqui no interior de meu casulo, sentindo que hoje é um dia ensolarado, e embora recruza, percebo todo o ambiente ao redor num clima de plenitude…

Ouço os pássaros cantando como nunca… Abelhas polinizando as flores em enxames muito maiores que o de costume… Uma grande sinfonia dos ventos a interagirem com as árvores…

Talvez esteja ausente a uma grande celebração, mas é minha natureza… Numa combinação instintiva e intuitiva, eis-me aqui cumprindo a missão transmutadora de meu próprio aspecto…

Sinto alguns incômodos em meu corpo, que se tornam crescentes em dores mais profundas e de repente, estou sob o domínio de um choro incontido e intenso, até acalmar-me paulatinamente, após as lágrimas correrem…

Sinto uma presença doce, suave, acariciando-me, e uma sensação de Amor profundo e acalentador…

Entre o alívio e uma confiança crescente, expande-se uma grande clareza, e aos poucos a compreensão de onde se originaram as angústias que há pouco me martirizavam…

Vem uma lembrança repentina, de quando eu caminhava lentamente, apesar das muitas pernas, e havia sido capturada por uma ave, e em pouco tempo, seria alimento de seus filhotes… Foi uma passagem de minha vida, onde eu não havia conseguido atingir o objetivo que agora me encontro. A introspecção…

Curiosamente, essa lembrança não abateu-me o ânimo, logo me veio a lembrança de outra passagem, em que me alimentava compulsivamente de frutas, após uma cansativa escalada em uma majestosa árvore, e em certo movimento distraído, estava presa a uma teia… Lá permaneci impotente, até que mais tarde, surgiu a construtora de tão engenhosa e grandiosa armadilha, “a aranha”… Não seria nem necessário narrar o restante dos acontecimentos, senão, o fato de que aqui em meu casulo, regozijei-me mais uma vez, por ter atingido meu objetivo…

Surpreendente foi, quando em uma clareza antes omitida em tristeza profunda, por minhas limitações e vulnerabilidades, entendi que nas duas lembranças em que eu pensei ter sido a caça, em verdade, eu já havia vivido como o pássaro, como a aranha, como as frutas e por sua vez, a árvore …

Compreendi, que após ter vivido as histórias recordadas, e muitas outras, havia por fim, atingido o auge de minha evolução… Logo comecei a sentir meu corpo mais leve e sentindo uma grande vitalidade enquanto, um par de membros adicionais, que constatei terem crescido em meu corpo, rompiam o casulo…

Logo estava voando, com uma sensação de leveza, êxtase e liberdade, que nunca pensei que pudesse sentir…  E ao direcionar-me ao lago mais próximo, a fim de admirar o reflexo de minhas novas forma e potencialidades, vi o quanto fui agraciada por ser agora alada, conduzida por um par de asas multicoloridas e de extrema beleza…

Após ver-me no reflexo das águas, virei-me e surpreendentemente, vi a mim em voo livre, mas agora, sentindo-me alicerçada sobre duas pernas e em pleno sentido de admiração, com a sensação de estar agora em um corpo maior, com um respirar profundo, e uma lágrima emocionada descendo por uma face diferente… Aos poucos, recobrando ser uma vida a habitar um casulo humano…

Ao concluir onde realmente estava, compreendi que um longínquo passado de minha evolução, “a lagarta”, mostrava-me um caminho ao discernimento, de que eu havia trazido todas as experiências existenciais para o meu Ser no agora… E que, compassivamente, minha sagrada missão teria lugar, ao perdoá-las, purifica-las, amá-las e reunifica-las em um único coração… O coração do Criador… Cujo Amor infinito celebra mais uma ressurreição, presenteando-me com as asas da liberdade, da sabedoria e perfeição…

por Fred Cury

Autor do livro: o Amanhecer da Consciência

The cocoon ...(English version)

I’m here inside my cocoon, feeling that today is a sunny day, and although backcrossing, I realize all the surroundings in a climate of fullness …

I hear the birds singing like never … Bees pollinating of flowers in clusters much larger than usual … A great symphony of winds to interact with the trees …

Perhaps I am missing a great celebration, but it is my nature … In an instinctive and intuitive combination, here I am fulfilling the mission of transmuting my own form …

I feel uncomfortable in my body that become growing in deeper pain and suddenly I am in the grip of an uncontrollable intense crying, to calm down gradually, after the tears …

I’m feel now, a gentle presence, caressing me, and a feeling of deep love and nurturing …

Between relief and growing confidence, expands great clarity, and gradually the understanding of where originated the anguish that just martirizavam me …

Comes a sudden memory of when I walked slowly, despite the many legs, and had been captured by a bird, and before long, it would be food for their young … It was a passage of my life, where I had failed to achieve the goal, that now I find myself. Introspection …

Interestingly, this memory not hit me the courage, soon came the memory of another passage, in which I fed me compulsively, of fruit after a tiring climbing, to high of a majestic tree, and in a distracted motion, I was trapped in a cobweb … I remained helpless until later, came the constructor of such ingenious and great trap, “the spider” … It would not be necessary to tell the rest of the events, but the fact that here in my cocoon, rejoice me again for having achieved my goal …

Surprising was when clearly, before omitted in deep sorrow for my limitations and vulnerabilities, I understood that the two memories in which I thought was hunting, in fact, I had lived as a bird, a spider, as fruit and in turn, the tree …

I realized that after living the remembered stories, and many others, had finally reached the pinnacle of my evolution … Soon I began to feel my body lighter and feeling great vitality while, a couple of additional members, when I realized they have grown in my body, broke the cocoon …

Soon I was flying with a sense of lightness, happiness and freedom, I never thought I could feel … and I was to direct me to the nearest lake to admire the reflection of my new form and potential, I can see how much I was graced by now be winged, led by a pair of multicolored wings and extreme beauty …

After seeing me in the reflection of the water, I turned and surprisingly, saw me in free flight, but now, feeling grounded on two legs and in the full sense of wonder, the feeling now be in a larger body, with a deep breathe, and an emotional tear down of a different face … Gradually regaining the memory in be a life to live in a human cocoon …

Upon completion of who I really was, I realized that the distant past of my evolution, “the caterpillar”, showed me a way to discernment, that I had brought all existential experiences for my being in the now … And so, mercifully, my sacred mission would take place, to forgive them, purify them, love them and reunites them in one heart … The heart of the Creator … Whose infinite Love celebrates one more resurrection, presenting me with the wings of freedom, wisdom and perfection …

by Fred Cury

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s