Evoluir…

(Evolve – Original text in Portuguese language, and transcription for English version)

Tudo me veio agora à superfície. O que antes esteve oculto, para que eu não percebesse. Mas influenciava pensamentos, sentimentos, ações, emoções, transgredindo o imaculado em desalentos…

Para que eu enxergasse o mundo com uma naturalidade cega. Para que eu ainda não reencontrasse o essencial por entre meras aparências. Onde haveria de fazer uma escolha entre o bem e o mal. Sem o entendimento de que se fundem num entrelaçamento aceitável à sobrevivência.

Ver equilíbrio no mundo, supondo serem polaridades permanentes, além do que se possa absorver em Sabedoria. Antes, sem perceber, que quaisquer das opções, omitia-me de mim mesmo a Mestria.

Eis porque em certo tempo, aceitava-me imperfeito. Conduzindo-me entre as nuances do bem meritório ao mal justificável…

Entendo-me melhor agora. Lançando mão do medo da não aceitação, para encontrar-me de volta no ilimitado coração…

Abdiquei do medo da perda. Seja da posse de algo fora do que eu poderia criar, pela dádiva de Ser intensamente. Seja pela possessiva necessidade de que alguém me amasse, esquecendo-me que o Amor do que Eu Sou conduziu-me Vivente.

Assim como outrora, a mente processou pensamentos separados do Amor, pareciam-me tão reais e convincentes, os propósitos sem sentido da ilusão. Esta que querendo manter-se dominante da mente, causou-me dor profunda, ao negar devolvê-la à maior expansão…

A Evolução apresentou-se assustadora, pois a mente teme o novo, mas a mente e o novo me pertencem. Minha mente pode processar o Divino, e minha volta ao que Eu Sou, o Destino.

O sentido evolutivo está diante de todos agora. Todos os sentidos do imperfeito experimentado, à cessão do espaço de retorno à perfeição do Princípio, vêm à superfície e não desejam deixar-nos. Esta persistente visão de realidade desconexa, causam dores atrozes ao serem arrancadas suas profundas raízes. É inevitável evoluir, não há como manter uma realidade complexa, quando é o desejo da Fonte de tudo, sermos Plenos e Felizes…

A Mãe Terra se renova. Ela reconhece seu poder em fazê-lo. Assim como reconheceu-se em meu coração renovando,  quando abri-me ao recebê-lo. Assim evoluímos; purificando, compreendendo, discernindo novamente. A Evolução é a origem, a viagem, a queda e o içar-se pela Luz inerente em retorno. E pela essência, criar do Amor o que se sente…

por Fred Cury

 

Edição de Vídeo / Áudio por PALMA – https://youtu.be/keiTLjdeqOQ

 

Evolve … (English version)

All came to the surface now. What once was hidden, so I would not notice. But was influence in my thoughts, feelings, actions, emotions, breaking the immaculate in discouragements …
For I see the world with a blind naturalness. For I cannot rediscover the essential through mere appearances. Where would you make a choice between good and evil. Without the understanding that merge in an acceptable survival entanglement. See a balance in the world, assuming they are permanent polarities, beyond what you can absorb in Wisdom. Before, without realizing that any of the options, omitted the Master from myself
This is why at one time, I accept me as being imperfect. Leading me between the nuances of merit from good to a evil justify.
I understand me better now. Making use of the absence of fear of rejection to accept me back in the immensity of the heart …
I can abdicate of the fear of loss. Be of the possession of something, out of what I could create, with the gift of Be intensely. Be the possessive need for someone to love me, if I can love what I am.
As well as before, the mind sued separate thoughts of love, seemed to me as real and convincing, the purposes of meaningless illusion. This than have to keep the attention of the mind, caused me deep pain, in deny return it the largest expansion …
The Evolution presented itself frightening, because the mind fears the new, but the mind and the new belong to me. My mind can process the Divine, and in my return to what I am, the destiny.
The evolutionary sense is before all, the now. All imperfect senses experienced, to the assignment of the return from space to the Divine perfection. This vision of a persistent disjointed reality, was come to the surface and do not wish to leave, causing excruciating pain by their deep roots. It is inevitable evolve, we can not keep a complex reality, when it comes from the Source of all, willing our lifes full and Happy …
Mother Earth is renewed. Because recognizes their power to do so. As I recognized in renewing by my heart when I opened myself to receive it. Thus is evolve; pure, in understanding and discerning again. Evolution is the origin, trip, the fall and hoist up to the return by the inherent Light , relearning how to create with the sense of inovation…

by Fred Cury

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s