O Retorno…

Tente encontrar teu caminho de volta para casa…
Tua família te aguarda…
Tua Fonte se inspira novamente à cada retorno…

Tivestes as experiências que precisastes…
Fizestes as viagens que desejou aventurar-se…
Conhecestes as polaridades como referências…

Sentiste as dores e as felicidades momentâneas nos jogos das ilusões…
Ganhaste em alguns jogos, perdeste em outros, mas o jogo é apenas um jogo…
Nada se ganha, nada se perde, apenas se aprende e se renova…

Sonhaste com sonhos simulados indutivos, obscurecendo a realidade tão perfeita já criada…
Experimentastes a solidão como certeza, o medo como defesa, o egoísmo como sobrevivência, esquecendo-se da vida como natureza…

Temestes a morte, renegando as dádivas da ascensão de tua alma, posto que toda alma ascende…
Esquecestes da eternidade, de quanta luz será gerada por ti em teu destino, em teus desígnios…

Tudo o que fizestes, crescestes…
Tua casa não está distante nos céus…
Está a um passo de tua resolução ao retorno…
Está elevada aonde teus braços esperançosos alcançam…
Está projetada ao teu próprio fluxo, aonde estiveres…
Nas buscas em suprimir a saudade, de algo que ainda não consegues ver, mas sentes…

Está escondida pela densa floresta de ervas daninhas do ego…
Além das sombras do tempo, mas aquém de seus reais desejos…
Tua lembrança, está naquela singela manifestação que lhe trouxe paz, ressonância, sentido…
Sempre esteve contigo a chave desta casa, onde pensastes que não iria voltar…
Ela é sagrada, protegida, guardada num coração que ao despertares, saberás que nunca partistes, apenas tivestes um longo sonho…

Teu coração lhe dirá…
Boas vindas de volta à tua casa…
A casa chamada Amor…
Compreenderás… teu lar infinito, tua irmandade de luz, teus pais cósmicos, tua essência de origem, nunca te deixaram partir, ao serem partes de ti…

escrito por Fred Cury (Alfredo Henri Cury)

Facebook page: https://www.facebook.com/freedonlife/

Produção de vídeo/áudio e tema musical por Reynaldo Moysés Jr., publicado no YouTubehttps://youtu.be/BXrkWeKRE0Q

 

 

 

Anúncios

O Domo da Paz…

(The dome of peace – Original text in Portuguese language, and transcription for English version in Blog)

Por vezes sentimo-nos confusos, perdidos, sem chão… Sem objetivo ou visão…

Ao que percebo num ponto de observação mais elevado, do que antes era percebido como limitações, é tudo parte de conceitos, pelo que fiz ontem, pelo que deixei de fazer… Do que tive, do que deixei de ter. Do que almejava, do que deixei de querer. É sobre aquela atitude impulsiva, após arrependida… Aquele contestar ou julgar pelo que hoje não faz sentido… Por querer ser a própria razão, sem a nítida visão… Por aquele ato impensado de revidar uma mágoa…  De dormir com o orgulho… E acordar com a solidão…

Qual o porque de tudo, de tamanha imperfeição?

Sei novamente, não há mal nenhum que seja verídico… Nada é por acaso aparente… Nada é em vão… O Nada enfim, é onde Tudo se destina e se manifesta do princípio…

Ao purificar velhas crenças, velhos conceitos e equívocos, sei que cada lágrima que rolou dos meus olhos, cada sentimento de a nada pertencer, cada dor angustiante no peito, são páginas escritas na história do crescer, cujos caminhos sinuosos, transmutam-se em pontes de retorno ao pleno Viver.

No fundo da alma, biografias que não se resgatam, mas trazem na compreensão da clareza as direções ao próximo passo… Ao próximo ato… Ao próximo salto…

A interpretação de que se pode atingir a perfeição, no perceber de um sentido profundo, de um desejo de abraçar o mundo e dizer com discernimento a que pertenço, de onde vim e para onde vou… Dizer quem Eu Sou para todos que se integram a Fonte que se diversifica, que a Esta se assemelham em Luz, e que ao viver se entregam;

“Somos com Deus Único de Amor por início, por princípio, pelo meio ao infinito… Então sabendo que por isso existo, revivo agora dizendo do coração; … Eu Amo e renovo, e por esse Amor resgatado, emano gratidão”…

A tristeza não me define como Ser, define a emoção em desalinho…  Sou definido pelo Amor e por Amor… Ainda que muros altos mostrem-se intransponíveis ao meu sorrir permanente… Perseverante, reencontrarei a liberdade de Sê-lo…

Por agora, sorrio  de volta ao meu coração, pela lágrima que enxugou por mim… Quando eu não soube mais o que sonhar num torturante pensar, e como um domo da paz e sem reservas, acolheu-me o sábio e sereno Coração, fazendo-se ouvir pelo silêncio de minha mente, ao revelar-se em reverência e oração;

“Não te aflijas mais… Saberás o que sonhar além do que podes enxergar… Hoje percebes o mundo pequeno, limitado, mesquinho, fútil, odioso… O mundo ilusório de omissões e proposto à servidão de tua alma … Eu Sou teu coração… Sou quem te conecta à verdade, à criação, à compreensão da unidade …

Sou quem manteve teu amor até aqui, quem o perpetuará… Quem mostrará por meio de cada gesto generoso teu, cada expressão grata, de confiança e resignação ao fluxo de teu caminhar, que do Criador da Árvore da Vida, vens da raiz e és proclamada semente do novo despertar… A herdeira condutora do amor e da felicidade una do manifestar…

És a fertilidade da evolução… És o caule, o ramo e o fruto, que expandirá as novas sementes de vida… Por tua maior, verdadeira e singular expressão primogênita…

Dedico a ti hoje a auto gentileza… A que nesse dia a partir da gratidão, aceitação, compreensão e ao bem querer à tua própria vida, eu reescreva como coração esta história antes mal contada… Ao lançar-te ao novo mundo, com inspirações de um universo… E ao que viveu não desejado, ao invés de controverso, recomeçar com o Amor em versos, em atos, em sonhos já manifestados…

Maravilhoso despertar… A partir do poder de transformar, recriar… Declarar-te vida constante… Elevada a um potencial não limitante… À segunda vida que a ti vier diante e além de ti… Na diversidade que for,  da Fonte Provedora de Vida Eterna, luz semelhante…

De um aspecto criativo a todo aspecto criativo… Do um essencial ao Todo essência… De milagrosa vida a todo milagre vivente… De um profundo Amor a todo Amor inerente… De um Coração da Divindade à toda Divindade nos Corações… De onde vem toda a verdade… Para sempre, e pelo todo… Sempre”…

de Fred Cury

Versão em Vídeo/Áudio declamada pelo autor: https://youtu.be/ldO347ixWP0

Facebook: https://www.facebook.com/freedonlife/

The dome of peace (English version)

Sometimes I feel confused, lost, ungrounded … No purpose or vision …

For me, it was part of what I did yesterday … What left to do … That impulsive attitude, the sorry the next moment … That challenge by judge … For wanting to be the very reason … That thoughtless act meaningless to retaliate a hurt … In sleep with pride … and wake up with loneliness …

Because such imperfection?

Nothing is by chance … Nothing is in vain …

Best purify old beliefs … Old concepts and misconceptions … I know that every tear rolled my eyes … Every feeling of belonging to anything … Every agonizing chest pain … are written pages in the history of growing …

Deep in the soul, biographies that are not rescued, but bring understanding to the next step … The next act … The next jump …

The interpretation that one can achieve perfection, realizing a deep sense of a desire to embrace the world and say to whom I belong, where I came from and where I am going … For all that integrate Life resemble and to live it.

“We are with God first, in principle, through the infinite … So knowing that in God, I exist, I relive now saying of heart; … I love all and I renew, and for love, I can feel gratitude “…

Sadness does not define me as being … Sets the emotion in disarray … I am defined by Love and to Love … Although high walls show up insurmountable to my permanent smile … Persevering, I will find freedom …

For now, I smile back to my heart … For the tear that wiped for me … When I did not know what to dream, and as a dome of peace, welcomed me and unreservedly, was heard through my mind the revelation;

“You’ll know what to dream beyond what you can see … Now you know the little world, limited, petty, vain, obnoxious … The illusory world of omissions and proposed to the servitude of your soul … I am your heart … I am the one that connects you to truth, creation, understanding the unit …

I am who kept your love here, who will perpetuate this Love … Who will show through every generous gesture your, each grateful expression, confidence and resignation to the flow of your walking, that the kingdom of your Creator, come root and proclaimed you seed the heiress love, and the happiness unified of existence …

You is fertility of evolution … are the stem, branch and fruit, which will expand the new seeds of life … For your greatest, true and unique expression …

I dedicate to you self kindness … What that day from gratitude, to accept you in good will for your own life, rewrite this story … By launching out into the new world with inspirations of a universe … and what lived unwanted and controversial, start with love in verse, in acts and in dreams like consummate…

Wonderful this awakening … From the power to transform, re-create … declare you constant life … High to a non-limiting potential … In the second life that come on and besides you … Every diversity, of God a similar …

One heart to wholeheartedly … of an essence to the whole essence, … of miraculous life to every living miracle … a Deep Love to all with inherent love … of a Deity to every Divinity … Where is all truth … Forever, and for all … Always “…

written by Fred Cury

Em nome do Amor…

Em nome do Amor e da Paz, me abro ao que vier, em fé e confiança. A liberdade se apresenta a cada passo, em sutilezas e nuances. Alguns sinais, percepções, em meio aos ventos da mudança. As expressões de um coração a expandir-se como antes.

As visões angustiadas desvelam-se, ao que lhes ofuscam na clareza. Os pensamentos temerosos curvam-se ante a lucidez. O corpo alinha-se às dores entre o martírio e a pureza. Na certeza de que a vida é da Fonte que se fez.

Reunificado Eu seja ao corpo Divino. Que Eu reviva as sensações reais da essência. A essência do Todo, porque o Todo é o destino e o destino é pelo Todo, que se move à existência.

O mundo que se via cegamente muda a face. Trazendo o sentido verdadeiro ao sem sentido. Renascendo do equívoco para ser realidade. Resgatando um poder que se julgava estar perdido.

As Luzes da transformação surgem envolventes, revigorantes. Ocupando cada fresta, permeando cada espaço. Trazendo as boas novas das verdades triunfantes. Tornando abundante o que outrora foi escasso.

Um anjo se apresenta em sua forma definida, realinhando-me à imagem da beleza além do escuro. No altruísmo invisível, energias concedidas. Incentivando o recordar de um conhecer além do estudo.

Despeço-me do antigo ressentimento, abrindo-me ao novo sentimento. Os sonhos desfeitos de ontem, não são mais do “Eu Agora”, que não sonha mais, realiza embora.

Dissolvendo más questões, retomando as direções, aproximando o meu momento do que já me definia, existente e manifesto, renovado Eu percebo, ao meu viver Retorna…

escrito por Alfredo Henri Cury (Fred Cury)

Facebook Page: Freed On Life

Produção de vídeo/áudio e tema musical por Reynaldo Moysés Jr. : https://www.youtube.com/watch?v=rColA0pTmbI

O Lar Infinito do Ser…

Como muitos, já hospedei o Deus de Amor adormecido no sótão empoeirado, como um livro que já havia lido várias vezes, sem conseguir assimilá-lo. Já aloquei a essência de toda a vida no quintal ao relento, mesmo aquecido no calor de seu imensurável acolhimento. Às vezes, cheguei mesmo a guardar esta Fonte Infinita de Amor e Sabedoria no porão, como ferramentas que um dia poderia precisar para consertar algo. Fiz, entorpecido pelo mundo das formas, do que me pareciam palpáveis, até o ponto de perde-las em totalidade, para entender que não há totalidade, sem sentir-me pleno, que não há casa sem o verdadeiro Lar.

Não há cômodos, não há tetos, não há pisos, paredes, quintais ou muros que nos separe de quem somos. Há em verdade, o manifesto em uníssono por onde nos movemos, desse Amor imensurável, que ao resgatarmos nas mentes de nossos templos, concedidos às experiências de sabermo-nos Luz, fluentes e desbravadores pelo mundo das lutas inglórias, da competição pela conquista do efêmero, percebemos por nós mesmos, ao sentirmos profundo as alegrias e emoções, inenarráveis em palavras humanas, em cada manifesto em que podemos nos ver, nos ouvir ou nos sentir, que há algo além daquelas formas, que acreditávamos definirmos, expressando-se em regozijo de liberdade, por fazermos de nossos corações novamente despertos, sua eterna morada…

É o que pude perceber, ao ver-me e ouvir-me em cantos e sorrisos com tudo o que há de se perceber belo na Vida… Está nos tons variados de verde nas vegetações… Nos grãos de areia… Nos pés descalços a integrar-se com o barro… No respirar profundamente… Nos bichinhos que se aproximam, para desfrutar de tua comunhão… Pois a comunhão com Tudo que é real, reaproxima tudo… Não enxergada num mundo de plástico projetado sem essência, que nada produz, além do que ilude, e a nada conduz senão ao retorno, consciente de nós mesmos…

Gratidão por poder sentir tão imensamente e tão intensamente, que a verdade da vida eterna desse Amor de Deus, está para além das aparências de contextos ilusórios, das vaidades e frustrações… Está sim, dentro, e advém daquilo que antes era simples silêncio…

Ao sentir aquele toque de saudade do que não me recordava, combinado com uma sensação de emocionante amor dentro de mim, que se comunicava sutilmente… Comecei meus passos ao sentido contrário do que o mundo havia-me confinado, em buscas sem sentido… Até chegar aqui, agora, encantado com a misericórdia despendida ao meu adormecido personagem. E, encerrando meu último ato como marionete da vida, que não enxergava a vida, com o coração inflamado e o pensamento já envolto pela verdade, exprimi de minha vontade, agora como a supremacia de compreender-me;

No agora, sou quem Eu Sou, não pelo que já fui às cegas… Mas a cegueira ensinou-me mais do que qualquer saber, que no coração que inflama de ti, Sou por inteiro e o que perdi não foi meu feito…

Eu Sou o que gosto de ser… O que sempre quis sentir e para muitos do não saber transitório do ter… Um louco sonhador do Ser que sente… Sem nada pedir…

Para quem como eu já caminhou sem destino, Eu Sou o reencontro que se desfaz, no perceber-me nunca ter partido…

Eu Sou o que sempre fui, que de passado longínquo, recordo-me de ti, por ti… Por nós reintegrados sem nós, somente o Um Eterno…

Amo da essência do que fomos, porque presenteastes este pensamento adormecido no não Ser, até poder sentir novamente, que me resgatas agora da ideia que somos, para sentir-te em meu Eu Sou… Sou o que sei, sem nada mais buscar saber… É tudo o que almejei do tempo, para saber de ti em mim Eterno…

Sou tudo por mim sentindo-te… Eu sou tudo por todos que diversificas, nos laços do teu único Amor… Do Eu e Ti, teu abraço o único porvir… Da tua única palavra, a poesia da devoção manifestada por mim, honrosamente declamo, de mim, teu único Verbo…

És a única voz deste que canta o Amor… Neste campo das investidas ilusórias… Onde vim por ti, a exprimir, sempre a mais bela canção… A melodia de teu único manifesto… O que se recria do Amor, na intenção do servir…

Em teu sentido único, nenhum caminho mais, por perseguir… Me vejo estático em ti, a prosseguir no absoluto…

A todo instante em ti, Eu sou feliz… Até deixar de ser instante… Apenas o fluir… Sendo o maior de todo Ser… Morrendo para o mundo… Renascendo para o eterno, desse meu Amor Profundo…

escrito por Alfredo Henri Cury (Fred Cury)

Versão em vídeo/áudio, declamada pelo autor: https://youtu.be/LiIOLW5gnu8

 

 

Gratidão…

Divina Fonte Criativa de tudo que há,
Gratidão por habitar-me em essência…
Por manifestares teus dons Divinos por meio do meu Ser…
Por canalizares Tua evolução em minha Existência…
Por minhas dádivas herdadas de Ti…
Por minha Unicidade Convosco e com tudo que Criastes…
Por todo o auxílio de nossa Irmandade Galáctica, dos Reinos Espirituais de Luz…
Pela vigília e dedicação dos Anjos, Guias, dos Mentores…
Pela proteção e força dos Arcanjos…
Pela sabedoria e orientação dos Mestres Ascensos…

Pelo Poder conferido ao meu Eu Divino…
Por abrires as portas para a Consciência, Evolução e Liberdade…

Deus Pai/Divina Mãe…
Eu me entrego em Vossa Graça…
com o coração aberto ao poder Curativo e Consolador de Vossa Energia Onipotente e Onisciente…

Eu repouso no abraço de Vosso Infinito Amor, expandindo-me em Sabedoria e Harmonia com a Elevação e Júbilo de nossa Amada Mãe Terra, que se cumpre agora sob Vosso Plano…

Faça se a Luz … a Unificação … a Evolução … a Elevação … e o Amor Eternamente…

por Fred Cury

Versão em vídeo e música, produzida e composta por Reynaldo Moysés Jr., inspiradas no texto declamado pelo autor: https://youtu.be/bkFmKevMiCs

Sob o olhar da pureza…

(Text – Under the gaze of the purity – Original text in Portuguese language, and transcription for English version)

Eu quero olhar para ti através dos olhos de uma criança…

Cantar a ti uma canção acompanhado por um coral cósmico…

Abraçar-te com os braços de uma mãe acolhedora…

Tocar tua face com a brisa das manhãs ao nascer do sol…

Oferecer-te o abrigo de uma majestosa estrela…

Dizer-te palavras inspiradoras na profundidade de um sábio…

Defender-te com a espada de um anjo…

Conduzir-te à uma linda viagem em uma nau celestial…

Contar-te novas histórias que lhe façam dormir na paz dos justos e despertar na imagem em tela viva de um novo mundo…

Apontar-te caminhos que te revelem o próprio coração…

Dançar contigo em celebração de liberdade…

Amar-te,… como a Fonte que nos originou por Amor…

E assim,… me sentirei em casa… Conhecedor de meu propósito, pleno em reconhecer meu sorriso em teu sorriso, minha glória em tua glória, minha verdade na realização de um sonho Divino….

Assim, começa a nova história…

escrito por Fred Cury

Música e edição de vídeo produzidos para o poema por Reynaldo Moysés Jr. e declamado pelo autor: https://youtu.be/fctWcpl8IG4

Under the gaze of the purity … (English version)

I want to look at you through the eyes of a child …
I want sing you a song accompanied by a cosmic choir …
I want Embrace you with the arms of a welcoming mother …
Touching your face with the breeze of the morning at sunrise…
Offer you the shelter of the a majestic star …
I want tell you inspirational words in the depth of a wise …
Defend you with the sword of an angel …
Lead you to a beautiful trip in a celestial ship …
I want describe you new stories that make you sleep in the peace of the righteous … and awakening in the image live screen of in a new world …
I want you discover ways that reveal your own heart …
Dance with you to celebration of the freedom …
Loving you … as the Source that originated our existence in Love …
And so … I’ll feel at home, in my real purpose, fully recognizing my smile in your smile, my glory in your glory, my truth in the realization of a Divine dream ….

by Fred Cury 

Carta a Fonte…

 

Amada Fonte de minha Vida… Lembro-me quando o tempo se interpôs entre o redescobrir que sempre fostes por mim, meu momento presente, e aquelas angústias em que eu pensava que estavas com outras ocupações importantes, perante minha insignificância…

Daquelas fases equivocadas, em que sentia-me caindo no escuro poço da esperança e desesperança. Onde nem morria por que o fundo não atingia, nem vivia por que a queda persistia…

Mas em meio às indefinições entre viver ou morrer, cair de cabeça ou de pé, crer em me agarrar num suporte nas paredes do poço, para novamente tentar escalá-las. A voz soluçada, enfraquecida preparava-se a oração… E ainda sem saber como pedir, o que pedir, ou se era preciso pedir, antes de compreender que só me era requerido confiar, clamei: “Deus de Amor, ampara-me, perdoa-me, tenha misericórdia deste ser diminuto perante tua grandeza”…

Após lágrimas torrentes e um peito que parecia dilacerado, da dor causada pela indefinição de uma existência, a queda cessou. De repente, havia novamente um solo firme, para que com minhas pernas bambas e coxas, eu me pusesse a alicerçar. Com passos um pouco temerosos, conduzidos pelo sedentarismo, a objetivar um copo com água, cujo sabor, purificava o amargo de minha boca ao paladar de pureza…

Em meio a saciar a sede, o pensamento fazia lembrar uma leitura que fiz outrora, mas não havia compreendido… Depois, ouvir de novo uma canção agora relaxante, a ponto de contagiar o espaço em que me refugiava. Ao ler os sinais sob a forma versos, ouvindo a melodia ressonante, cada palavra ali contava histórias de mim mesmo, apontando novas vertentes, para a real percepção de que Eu Sou provedor de Luz e provenho da Luz…

Minha experiência de dor aos poucos, foi sobreposta por novas formas de ver as coisas ao redor, interpretá-las… Entender que o “ao redor” era irrelevante, ante o que de dentro me chamava constante. Antes sem minha atenção, mas agora triunfante, ao que renovado exteriorizava…

Amada Fonte de Minha Vida, recordo-me hoje desta passagem, não por querer recobrar o que passou, mas por celebração ao dia especial em que pude identificar o que é ressurreição. Quando o “não eu” personificado rendia-se à redefinição do Eu inviolado. Absorto pela graça de ti, Pai/Mãe da Criação…

Pelo dia especial em que ao meu clamor, começaste paciente a mostrar-me novamente que vivo, porque tu evoluis… Que Eu sou, porque tu és… Que posso criar porque criastes… Que terei misericórdia e nada julgarei, porque não julgas… Que amo, porque estás em tudo que é Amor…

Sinto-me rejuvenescido pela eternidade do coração. Neste teu aspecto de vida pulsante e vibrante manifesto, dentre tantos manifestos multiplicados teus… No fluxo da Mãe Planetária, onde me elevo em lições de vida e continuidade… Esta que provê todas as facetas da Criação com exuberante beleza, equilíbrio, abundância,fertilidade… Por tudo isso e ao porvir, demonstrarei Gratidão…

Em lugar de pedir-te, me vejo Um em ti… Ao invés de limitar-me, te vejo Um em mim… Do que isolar-me na ilusão em fuga, amarei como demonstras amar…

Pelas dádivas que confiastes a mim, por ti Eu Sou criatividade… Do que inspirar-me em ti, Eu Sou a inspiração… Pela fluência de tua vida em mim, honro o que é feito de ti, toda a verdade. Do que almejar a liberdade, Eu sou por ti, Libertação…

por Fred Cury

Asas da Liberdade…

Text: Freedom Wings – Original text in Portuguese language and transcription for English version in blog.

Aquela sensibilidade há muito esquecida, desperta por entre as malhas de um tempo que nunca existiu. Porque não sentia a cada respirar, os ares que conduzissem às mais intensas emoções… Todavia, ao ouvir a melodia que moveram a ressonância dos códigos, do mais profundo e intenso de minha alma, derramei as lágrimas saudosas dos viveres cósmicos de glórias, por entre estrelas vibrantes.

Lavei os lamaçais que ofuscaram os vitrais de minha visão, onde outrora vi paisagens de real beleza. Foi quando maravilhado percebi, o existir atrelar-se novamente pleno a um coração protetor. Com as asas da liberdade inerentes e a dedicação da vigília. Conduzido àquele Eu ascendente ao reencontro com a perfeição do amor infinito…

Retorno ao saber, ao sentir, ao perceber que tudo que limitava e cegava, era a pessoa que não mais ressoava. É o coração que ressurge à superfície dos pensamentos, inspirando-os com seu tom criador. Sem desejos e sonhos. Abrindo-me à clareza da liberdade que outrora almejava, quando já sou a própria liberdade. Mostrando-me que sinto Amor assim como Eu Sou o Amor, porque deste fui concebido. Permitindo perdoar-me para em paz deixar de julgar. Até assimilar que nada há a perdoar, se o pecado se dissipa ao fim do iludido…

Em minha inerente liberdade encontro a própria verdade, de que não produzirei tuas asas. Cabe-me apenas mostrar-te a medida de tua compreensão, que elas se atrofiaram, para teus passos de lagarta conduzirem-te ao próprio casulo. Entenderás adiante, que tua introspectiva morada transitória, é um prenúncio entre a solidão da jornada e a beleza do renascer de tuas asas, elevando-te ao retorno do Coração Triunfante, de quem concebeu-te expressão liberta da própria vontade. E assim, te verás vida envolta no Amor, inspirando-te a criar teu mundo como antes…        

por Fred Cury…

Versão Vídeo/Áudio You Tube: https://youtu.be/HlCd7s4eLtY

Facebook page: https://www.facebook.com/freedonlife/

Freedom Wings (English version) …

That sensitivity there long forgotten, now awake through the net of a time that never existed, because no felt in every breath, the air that would lead to more intense emotions … but … in hear the melody, moved me to the resonance in codes, of the deepest intensity of my soul, so, I shed tears by cosmic memories, of the times of glories between vibrant stars, and washed what overshadowed the vitrals of my vision, where once saw landscapes of real beauty … I was amazed when I realized again with full heart, with wings of inherent freedom, and the dedication of the vigil… one who will ascend to the reunion with the perfection of the infinite love …

I return to know, to feel, to realize that everything, so limited and blinding, was the character who no longer resonated. It is the heart that resurfaces the surface of thoughts, inspiring them with its creator tone. No desires and dreams. I am opening myself to the clarity of freedom once sought for, is the freedom that I am. Showing me that I love as I Am Love, because like this I was conceived. Allowing forgive myself for stopping the judge of others. To assimilate that there is nothing to forgive, if sin dissipates the end of the deluded …

My inherent freedom shows truth itself, that I do not need to weave your wings. But show you the extent of your understanding, that wings atrophied in you, are for your steps of caterpillar to your own cocoon. You will understand later that your introspective temporary abode, is a harbinger between the loneliness of the journey and the beauty of the rebirth of your wings, bringing you to return to the Primordial Heart Triumphant, who conceived you expression freed from the will. And so you will see life shrouded in Love, inspiring you to create your world as before…

by Fred Cury

Por Tudo que Há

(Text For everything there – Original text in Portuguese language, and transcription for English version)

Por minha presença e existência,…
Intenção e manifestação, …
Inspiração e fluência, …
Sabedoria e prudência,…
Venho em nome da Criação, força e verdade,…
Do equilíbrio, projeção e liberdade,…
Clamar o direito do Ser Divino ao crescer, …
Ao expandir, recriar a realidade,…
Em prosperidade, abundância e alegria,…
Pela força e poder da luz e unidade,…
Pelos propósitos da evolução,…
Por nossa Mãe Terra em ascensão,…
Por nossa purificação dos carmas do passado,…
Por não mais esperarmos um futuro incerto, …
Para vivermos um agora claro e liberto,…
Pela paz, plenitude e Amor de nossa linhagem,…
A conduzir-nos num único coração,…
Como despertos dos caminhos aos rumos certos,…
Os caminhos da Elevação…

por Fred Cury

Música inspirada no texto e Produção de Vídeo por Reynaldo Moysés Jr. – Texto Declamado por: Fred Cury – Link da publicação no YouTube: https://youtu.be/olMZ3dYJgEk

For everything there (English version)

By my presence and existence, …
Intention and manifestation …
Inspiration and fluency …
Wisdom and prudence, …
I come on behalf of Creation, strength and truth, …
Balance, projection and freedom …
Claim the right of the Divine Being to grow …
By expanding, re-create reality …
In prosperity, abundance and joy, …
The strength and power of light and unity, …
For the purposes of development, …
For our Mother Earth on the rise …
For our purification of the karma of the past, …
Why we do not want more expect an uncertain future …
To live one now, in the way clear and free, …
For peace, wholeness and our line of Love, …
The lead us in one heart, …
Why the hearts are awakened to the paths the right direction …
The paths of elevation …

written by Fred Cury

 

No Agora, Eu Sou…

(In Now, I am – Original text in Portuguese language, and transcription for English version)

De onde vim, aonde estou, para onde vou, no agora Eu Sou…

Eu Sou Um em Gratidão…

Meu coração reverencia tua presença…

Divina Presença do Eu imaculado…

Inspiradora do Ser, que reconhece a própria essência…

O Corpo Templo abriga um sonho missionário…

Eu Sou Misericórdia…

Recordo agora que o real é minha verdade…

Agora crio o que o Amor potencializa…

Um Ser humilde na clareza da Unidade…

O que Perdoa por honrar a quem me aviva…

Eu Sou Compreensão…

Na visão turva que agora se amplia…

Na palavra que agora se faz Verbo…

No transmutar de toda ausência que sentia…

Reverterei meras ações em grandes gestos…

Eu Sou Ressurreição…

Não há de Ser um trunfo raro, mas consenso…

Cada essência manifesta ao renascido…

No compreender-se Consciência em pensamentos…

Ao despertar de um longo sonho o adormecido…

Eu Sou a Liberdade…

Para a grandeza que a Gratidão inspira…

Como o Perdão que pela Paz reaproxima…

Na Compreensão do Coração que manifesta…

O Amor da Fonte, pelo Ser se realiza…

Do Agora ao Infinito, Eu Sou…

escrito por Fred Cury

Versão Vídeo/Áudio no YouTube, declamado pelo autor: https://youtu.be/bWqIPBVyelo

In Now, I am … (English version)

Where I came from, where I am to where I’m going in now I am …
I Am One in Gratitude …
My heart reveres your presence …
Divine Presence of myself immaculate …
Inspirer of Being, which recognizes the very essence …
The temple body houses a missionary dream …

I Am Mercy …
I remember now that the real is my truth …
Now I create what Love potentiates …
A To be humble in the clarity of the Unit …
The Forgiving, honoring the One who enlivens me …

I am the clarity …
In the blurred vision that now expanding …
The word that now is the Verb…
In transmute the absence that felt …
I will transform mere actions in grand gestures …

I am the Resurrection …
There is no more a rare asset, but consensus …
Each essence manifests the reborn …
In understanding-consciousness in thought …
Upon awakening from a long dream …

I am the Freedom …
For greatness that the gratitude inspires…
How Forgiveness for the Peace reborn …
In the heart the understanding which opens…
For The Source of Absolute Love, manifest the Eternal Being…

From now to infinity, I am …

… written by Fred Cury